Fale com este blog

E-mail: ercio.remista@hotmail.com
Celular: (91) 8136-7941
Para ler postagens mais antigas, escolha e clique em um dos marcadores relacionados ao lado direito desta página. Exemplo: clique em Santarém e aparecerão todas as postagens referentes à terra querida. Para fazer comentários, eis o modo mais fácil: no rodapé da postagem clique em "comentários". Na caixinha "Comentar como" escolha a opção "Anônimo". Escreva o seu comentário e, preferencialmente, ao final faça constar o seu nome, cidade e bairro. Depois, é só clicar em "Postar comentário".

sábado, 5 de novembro de 2011

Governo define prazo para pagar retroativo de 22,45% a 44 mil servidores

No dia 22 de novembro, o Sindicato dos Servidores Públicos do Estado no Município de Belém (Sispemb) se reúne com a secretária de Estado de Administração, Alice Viana, na Procuradoria Geral do Estado (PGE), às 9h, para definir de que forma o Governo pretende incorporar um retroativo de 22,45%, referente a 15 anos de serviços aos salários de cerca de 44 mil trabalhadores que atuam na capital paraense.

Ontem, pela manhã, as partes se reuniram, também na PGE, para analisar a forma do pagamento. Segundo o presidente da Sispemb, Leandro Borges, o encontro fo tranquilo e há um convencimento de que o Governo do Estado está disposto a negociar os valores. "Por conta dessa boa vontade nós abrimos mão do pagamento da multa diária e da execução imediata", disse o sindicalista.

A titular da Sead disse que o pagamento é decorrência de uma decisão judicial já transitada em julgado, ou seja, não há como recorrer, e confirmou que a expectativa para a próxima reunião é de se estabelecer como esse pagamento será feito. "Acredito que no dia 22 nós conseguiremos construir uma equação financeira de forma a negociar o início desses pagamentos para a partir de janeiro de 2012. Reiteramos o nosso compromisso em quitar esse débito de forma gradativa e nos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal", declarou.

Alice Viana. "Ainda estamos terminando a apuração dos valores totais, mas estima-se que o impacto no orçamento chegue a R$ 34 milhões, valor que extrapola em 46,17% o limite prudencial e em 48,60% o limite de gastos com pessoal. Mostramos essa realidade para o Sindicato, que foi sensível em compreender que isso engessaria completamente o Estado e acordamos a reunião do dia 22 para já discutir uma propostas de repasse desses 22,45% em cima dos salários dos servidores", detalhou a secretária Alice Viana. (Amazônia)

4 comentários:

  1. gostaria de saber quem tem direito.luiz ananindeua coqueiro

    ResponderExcluir
  2. E agora Ercio? o Borges se entregou para o governo permitindo que fosse pago só 12%,e em 3 anos, sendo a primeira agora em Março/2012,e neste mês o contracheque não tem nada...nada...nada, nem satisfação, então vamos ver como será o comportamento dos prejudicados, haja vista que só quem está ganhando com esta Secretária são os Militares, que vivem enchendo o Banpará, fazenso empréstimo e NÓS NADA...NADA...NADA; Fala aí pra nós como está esta Novela...

    ResponderExcluir
  3. Gostaria de saber o número desse processo

    ResponderExcluir
  4. vamos lá sr. Ercio Bemerguy. estive no IGEPREV Autarquia Previdênciária do Estado e obtive a informação que alguns servisores inativos só poderão obter tal adesão ao acordo se firmar contrato e repassar procuração ao SISPEMB/PA que de ante mão, propôs não o que foi acordado em juizo que seria 3 parcelas de 4% ao ano, mas sim, 1ª parcela de 4%, a 2ª parcela de 4% e a 3ª parcela de 3,56%. colocando os servidores a serem sugados por seu sindicato através de contrato firmado, que ficarão mamando nas tetas desses funcionários públicos ativos, inativos e pensionistas. por um direito já garantido que a muito tempo já eram seus e não tinham. concordo que o advogado tenha sim, sua parcela de remuneração que no contaro é de 10% a ser paga por seu cliente, mas não ficar ganhando nas costa de quem trabalha tanto tempo para ver o desenvolvimento do estado sendo feito.Com isso os orgãos publicos como Sead e Igeprev obrigão servidores a um termo de adesão que descrimina exatamente o que descrevo. para sanar de fez essa processo, faz-se de pronto um requerimento que incorpore de imediato o servidor aos direito que lhe cabe. sem protelação e obscuridade de contratos danosos até o fim que perdurar seu salario ou aposentadoria ou pensão. fica aqui minha dica. boa noite e muito obrigado.

    ResponderExcluir