Fale com este blog

E-mail: ercio.remista@hotmail.com
Celular: (91) 8136-7941
Para ler postagens mais antigas, escolha e clique em um dos marcadores relacionados ao lado direito desta página. Exemplo: clique em Santarém e aparecerão todas as postagens referentes à terra querida. Para fazer comentários, eis o modo mais fácil: no rodapé da postagem clique em "comentários". Na caixinha "Comentar como" escolha uma das opções. Escreva o seu comentário e clique em "Postar comentário".

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Veja perguntas e respostas sobre as mudanças no ensino médio

Na nova arquitetura do ensino médio, estabelecida ontem, 22, por Medida Provisória (MP) editada pelo presidente Michel Temer, apenas as disciplinas de Português, Matemática e Inglês serão obrigatórias durante os três anos que compõem a etapa. As demais passam a ser optativas da metade para o fim, a depender da área de conhecimento que o aluno decidir seguir, entre cinco possibilidades: Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza, Ciências Humanas e Ensino Técnico.

Veja a seguir perguntas e respostas sobre a reformulação: 
1. Como vai ficar o curso noturno? Será ampliado?
As escolas não têm obrigatoriedade de aderir ao novo ensino médio em turno integral, portanto, o curso noturno continuará existindo, de acordo com o MEC.
2. Como ficará na prática quem não adotar o regime integral?
Ainda terá de cumprir pelo menos 2,4 mil horas totais de ensino médio e separar metade do programa (1 ano e meio) obrigatoriamente para oferecer a carga optativa.
3. Como vão ficar escolas em todo o País que trabalham no sistema de contraturno? Ou seja, colocam normalmente o fundamental 2 em um horário e no outro o médio, para passar a adotar o regime integral?
Dependerá de como o Estado pretende estruturar a rede.
4. Há prazo para adoção do sistema integral?
O governo federal quer estimular o novo sistema e tentará atingir 500 mil alunos em tempo integral até 2018. 
5. As mudanças valem para públicas e particulares?
Sim, mesmo as particulares que não adotarem turno integral terão de apresentar a carga optativa de um ano e meio.
6.  Considerando a separação por eixos temáticos e por escolha, como ficará a atribuição de aula do docente?
Depende do sistema de cada Estado. Os governos poderão contratar professores de áreas correlatas para dar aula. Exemplo: um professor de Física para Matemática.
7. Imagine uma escola em que apenas 2 alunos optem pela área de Matemática. Como será possível dar aula? Vão mudar de escola?
Poderá haver escola que vai oferecer anos iniciais e apenas uma ou duas áreas – exemplo: Linguagens e Ciências Humanas. Um aluno que quer seguir na área de Matemática poderá ter de mudar de instituição, caso o colégio em que estude não ofereça a modalidade.
8. Haverá elaboração de uma Base Comum do médio?
Sim. Está em discussão e deve ser definida até meados do ano que vem, segundo o MEC.
9. Todos os estudos sobre melhoria de educação no mundo falam sobre a necessidade de ampliar o investimento no professor. Não há nada sobre isso na proposta atual do MEC?
Não. Isso terá de ser resolvido via Lei do Piso Salarial do Professor. A proposta em questão prevê repasse aos Estados de verba complementar de R$ 2 mil por aluno/ano para ser investida no ensino médio.
10. Se o aluno escolher a área e não gostar, pode mudar?
Sim. Mas não poderá fazer duas áreas ao mesmo tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário