Fale com este blog

E-mail: ercio.remista@hotmail.com
Celular: (91) 8136-7941
Para ler postagens mais antigas, escolha e clique em um dos marcadores relacionados ao lado direito desta página. Exemplo: clique em Santarém e aparecerão todas as postagens referentes à terra querida. Para fazer comentários, eis o modo mais fácil: no rodapé da postagem clique em "comentários". Na caixinha "Comentar como" escolha uma das opções. Escreva o seu comentário e clique em "Postar comentário".

sábado, 19 de novembro de 2016

S.O.S Bancrévea

 
Por Francisco Sidou, jornalista
As imagens acima são da belíssima sede campestre do Bancrévea, o clube dos funcionários do Banco da Amazônia, na rod. Mário Covas, em Belém. Com área de 60.000 m2, modernas piscinas, lago natural, campos de futebol, áreas de lazer para comemorações festivas, entre outras atrações. Soube hoje de fonte confiável que construtoras nacionais estão "cobiçando" a imensa área para construção de um sofisticado condomínio horizontal e já teriam "sondado" alguns dirigentes do clube sobre o seu preço. O mesmo grupo que domina o Bancrévea há mais de 20 anos já vendeu quase todo o seu valioso patrimônio para pagar dívidas... Foi assim com o enorme terreno na Av. Nazaré, que valia, na época (1995) em que foi vendido por míseros R$-380 mil , no mínimo R$-2 milhões. Foi também assim com a antiga sede náutica (hoje Palafita) que valia, na época (2000) , pelo menos R$-500 mil pela localização privilegiada de frente para a Baia - além de seu valor histórico - que acabou vendida por míseros R$-180 mil. Caso se efetive essa nova venda, agora da "joia da coroa", o Bancrévea praticamente vai sumir do mapa de clubes sociais de Belém. Como das vezes anteriores, os sócios proprietários do clube só irão saber de tão furtivas transações pelos jornais, sem tempo mais de reagir. Mas desta vez vai ter ação na Justiça, caso se concretize o dano total ao que ainda resta do outrora  valioso patrimônio do Bancrévea. Patrimônio quase todo devorado por "gafanhotos sociais" para pagar dívidas de sucessivas gestões  pequenas/temerárias/não profissionais. Renomado advogado sócio-proprietário do clube já está com a munição preparada para pedir intervenção judicial e impedir mais essa ação predatória de gestão, praticamente o réquiem do Bancrévea, que já foi conhecido em Belém como "o clube das grandes realizações sociais."

Nenhum comentário:

Postar um comentário