Fale com este blog

E-mail: ercio.remista@hotmail.com
Celular: (91) 8136-7941
Para ler postagens mais antigas, escolha e clique em um dos marcadores relacionados ao lado direito desta página. Exemplo: clique em Santarém e aparecerão todas as postagens referentes à terra querida. Para fazer comentários, eis o modo mais fácil: no rodapé da postagem clique em "comentários". Na caixinha "Comentar como" escolha uma das opções. Escreva o seu comentário e clique em "Postar comentário".

terça-feira, 25 de abril de 2017

Ministério Público indicia Hélio Gueiros Neto por feminicídio

Hélio e Renata
O ministério público ofereceu denúncia contra o advogado Hélio Gueiros Neto pelo crime de feminicídio. Ele é acusado de ter assassinado a mulher, Renata Cardim, em 2015. Na denúncia, o promotor Edson Cardoso de Souza aponta que o réu matou Renata por asfixia mecânica, com sufocação direta. Segundo o advogado do réu, as acusações não procedem.

Renata Cardim tinha seis anos de relacionamento com Hélio Gueiros Neto. Os dois estavam casados a aproximadamente sete meses quando ela morreu. Segundo os autos, Hélio ligou para a sogra Maria Socorro Cardim e disse que Renata havia passado mal. Ela e o irmão da vítima foram socorrer Renata e, ao chegar no apartamento do casal, viram ela sendo carregada por Hélio.

A vítima foi levada a um hospital particular, mas seu então marido alegou que ela já estava morta quando chegou ao hospital. Ainda assim Renata foi submetida a manobras de reanimação, sem sucesso, e sua morte foi confirmada pelos médicos. O corpo foi encaminhado para exames no Centro de Perícias Científicas Renato Chaves.

Reviravolta
Na época o réu fez um boletim de ocorrência para tentar retirar o corpo de Renata do hospital, já que ela teria morrido na residência do casal. Na certidão de óbito, porém, consta que ela morreu no hospital. Segundo o documento, a causa da morte foi aneurisma na aorta abdominal, a maior artéria do corpo.

A família de Renada Cardim conseguiu uma autorização judicial para exumar o corpo de Renata, e contratou peritos do Rio de Janeiro para conduzirem um exame no cadáver. Com este laudo particular, a família da vítima conseguiu reabrir o caso. As provas coletadas pela família foram anexadas ao inquérito, que indiciou Hélio por homicídio doloso qualificado - na denúncia oferecida pelo Ministério Público, porém, o crime do qual Hélio Gueiros Neto é acusado foi tipificado como Feminicídio, de acordo com o artigo 121 do código penal. (OrmNews)

Nenhum comentário:

Postar um comentário