Fale com este blog

E-mail: ercio.remista@hotmail.com
Celular: (91) 8136-7941
Para ler postagens mais antigas, escolha e clique em um dos marcadores relacionados ao lado direito desta página. Exemplo: clique em Santarém e aparecerão todas as postagens referentes à terra querida. Para fazer comentários, eis o modo mais fácil: no rodapé da postagem clique em "comentários". Na caixinha "Comentar como" escolha uma das opções. Escreva o seu comentário e clique em "Postar comentário".

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Aguenta, povão! Petrobras reajusta gás de botijão em 6,7%; preço será revisado todo mês

A Petrobras anunciou nesta quarta-feira (7) uma nova política de preços para o gás de botijão, que passará a ser reajustado mensalmente. Este mês, os preços serão aumentados em 6,7%.

O reajuste vale apenas para o gás vendido em botijões de 13 quilos e passa a vigorar nesta quinta (8). Segundo a estatal, se o repasse ao consumidor for integral, o aumento no preço final será de 2,2%, ou R$ 1,25 por botijão.

O último reajuste promovido pela estatal no preço deste combustível foi realizado no dia 21 de março, quando o valor cobrado nas refinarias subiu 9,8%.

A nova política de preços para o gás de cozinha institui uma fórmula que considera as cotações europeias do butano e do propano –gases obtidos a partir do refino de petróleo que compõem a fórmula do gás liquefeito de petróleo (GLP, o nome técnico do gás de cozinha).

Sobre esse valor, será aplicada uma margem de 5%. Os reajustes serão automáticos e realizados no dia 5 de cada mês.

Com isso, a Petrobras reduz os riscos de retorno à política de subsídios para o combustível, que passou a vigorar em 2003, no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Na época, o governo decidiu que o preço do gás vendido em botijões de 13 quilos seria congelado e teria uma política diferente da praticada para as vendas do combustível em outros vasilhames –geralmente usados por comércio e indústria.

A política foi oficializada em resolução do CNPE (Conselho Nacional de Política Energética) em 2005, que prevê "preços diferenciados e inferiores" para o gás vendido em botijões de 13 quilos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário