Fale com este blog

E-mail: ercio.remista@hotmail.com
Celular: (91) 8136-7941
Para ler postagens mais antigas, escolha e clique em um dos marcadores relacionados ao lado direito desta página. Exemplo: clique em Santarém e aparecerão todas as postagens referentes à terra querida. Para fazer comentários, eis o modo mais fácil: no rodapé da postagem clique em "comentários". Na caixinha "Comentar como" escolha uma das opções. Escreva o seu comentário e clique em "Postar comentário".

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Liberdade e orgulho de ser diferente

Por: Ercio Bemerguy
A "PARADA DO ORGULHO GAY" que é realizada em várias cidades brasileiras, inclusive em Belém, é desaprovada por algumas pessoas - a minoria, felizmente. São pessoas que insistem em desconhecer que manifestações públicas como essas, de afeto e de amor entre pessoas do mesmo sexo, não é uma ousadia, nem tampouco uma afronta, um desrespeito à sociedade, mas uma coisa normalíssima.


Infelizmente, o preconceito em relação ao homossexualismo ainda continua forte, pois não é fácil para muitos entender o que é ser gay, aceitar esta ou outra forma de homens e mulheres desenvolverem e assumirem publicamente a sua sexualidade. Mas, apesar disso, exige-se de todos quantos abominam esses esse modo de ser e de viver, apenas isto: RESPEITO!
O “problema”, conforme afirmou certa vez o psicoterapeuta Cláudio Picazio, “é que os gays fazem parte de uma minoria assim como índios e negros, e por isso sofrem tanta discriminação”. E complementou: “Quem disse que a minoria está errada? Temos de aceitar que o mundo se desenvolve em torno de várias diferenças, várias verdades. Quem disse que a maioria é que está com a razão?”.

Deixando os contrários de lado, é bom que se diga que essas “paradas” são uma festa, uma manifestação afirmativa, alegre e divertida, cujo objetivo principal, quer queiram, quer não, sempre é alcançado plenamente: dizer NÃO ao preconceito, de proclamar a todos que exerçam o seu direito de liberdade, direito de extravasar sentimentos de amor, de igualdade, de respeito mútuo, de orgulho de ser gay ou lésbica.

2 comentários:

  1. É tudo muito confuso.
    Nós, aqui em Belém, a cada mês de Outubro, colocamos 2 milhões de pessoas nas ruas para homenagear a mãe de Jesus Cristo.
    Ontem, havia 2 milhões de pessoas nas ruas da cidade de São Paulo. Reverenciavam a quem ? A eles mesmos ?
    Se a moda pegar, os heterossexuais terão de sair às ruas para provar que estão em maior numero.
    Ah ! Para com isso !

    ResponderExcluir
  2. O comentário merece palmas, sem,contudo censurar o evento. Só um adendo : a baiana ou bahiana ? deveria deveria nos poupar desses beijos ? O que ela quer? Provar seu amor infinito?

    ResponderExcluir