Fale com este blog

E-mail: ercio.remista@hotmail.com
Celular: (91) 8136-7941
Para ler postagens mais antigas, escolha e clique em um dos marcadores relacionados ao lado direito desta página. Exemplo: clique em Santarém e aparecerão todas as postagens referentes à terra querida. Para fazer comentários, eis o modo mais fácil: no rodapé da postagem clique em "comentários". Na caixinha "Comentar como" escolha uma das opções. Escreva o seu comentário e clique em "Postar comentário".

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Ministro reforça que SUS não funciona sem ponto de médicos

 
Depois de se reunir com prefeitos (foto), durante a visita em que anunciou quase R$ 18 milhões em investimentos na rede do Sistema Único de Saúde (SUS) em Alagoas, o ministro Ricardo Barros rebateu as críticas da comunidade médica, que paralisará suas atividades em 03 de agosto, em Alagoas, exigindo sua exoneração da pasta.

Ricardo Barros ligou diretamente o protesto anunciado pelo Sindicato dos Médicos de Alagoas (Sinmed/AL) à insatisfação pela sua cobrança do cumprimento integral da carga horária de trabalho. E, quando questionado pelo Diário do Poder sobre a cobrança pela sua exoneração, disse não haver razão para tal reação, porque seguirá exigindo rigor na relação contratual entre os médicos e o poder público.

“Eu vou exigir a presença dos médicos nas unidades de saúde. Vamos implantar a biometria e eles vão ter que cumprir o horário. Não há razão para essa reação. Eles fizeram concurso público, têm um contrato com o poder público de tantas horas por semana e vão cumprir. Senão, o sistema não funciona. E, também, evidentemente, estou me propondo a pagar melhor. Porque, se o médico vai ficar o tempo contratado na unidade de saúde, é preciso remunerá-lo por esse tempo. Nós temos que avançar neste sentido. O que eu disse é exatamente isso. Vamos pagar melhor os médicos, vamos exigir o cumprimento do horário. E é isso que vamos fazer”, disse o ministro Ricardo Barros, ao Diário do Poder.

O presidente do Sindicato dos Médicos de Alagoas (Sinmed-AL), Wellington Galvão, declarou que a categoria pede a saída do ministro, porque Ricardo Barros estaria culpando os médicos pelo caos nos hospitais. “Estamos pedindo a saída dele porque é um ministro incompetente. Ele só tem feito lambança e tem ido a público para culpar a categoria do caos instalado nos hospitais brasileiros”, disse Galvão.

Em Maceió, o ministro fez anúncios de melhorias e mais custeio para os serviços de saúde em Alagoas, sempre elogiando o trabalho de seus colegas do Partido Progressista, o senador Benedito de Lira e o deputado federal Arthur Lira.

Foram anunciados R$ 6,5 milhões para melhorar e ampliar a assistência na atenção básica em 34 dos 102 municípios alagoanos; o credenciamento de 28 equipes de saúde bucal, com custeio anual de R$ 1 milhão; 36 novas ambulâncias; R$ 6 milhões de custeio para a alta e média complexidade no Hospital do Açúcar; e R$ 4,6 milhões da inauguração do acelerador linear para a Santa Casa de Misericórdia de Maceió, que ampliará em 40% o atendimento de radioterapia em Alagoas.

O ministro Ricardo Barros destacou que, desde que assumiu a pasta da Saúde do governo de Michel Temer (PMDB), em maio de 2016, foram liberados R$ 102,3 milhões para Alagoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário