Fale com este blog

E-mail: ercio.remista@hotmail.com
Celular: (91) 8136-7941
Para ler postagens mais antigas, escolha e clique em um dos marcadores relacionados ao lado direito desta página. Exemplo: clique em Santarém e aparecerão todas as postagens referentes à terra querida. Para fazer comentários, eis o modo mais fácil: no rodapé da postagem clique em "comentários". Na caixinha "Comentar como" escolha uma das opções. Escreva o seu comentário e clique em "Postar comentário".

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Pente-fino do INSS cancela 72% dos auxílios-doença analisados no Pará

Um levantamento do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) revela que 72% dos auxílios-doença analisados no Pará, do final de 2016 até o dia 14 de julho deste ano, foram cancelados. O pente-fino avaliou 4.534 perícias no Estado e, desse total, 3.267 benefícios foram revogados. A ausência de convocados levou ao cancelamento de outros 863 benefícios.

Além disso, segundo os dados encaminhados pela Pasta a O Liberal, 683 benefícios foram convertidos em aposentadoria por invalidez, 84 em auxílio-acidente, 36 em aposentadoria por invalidez com acréscimo de 25% no valor do benefício e 104 pessoas foram encaminhadas para reabilitação profissional.

A economia anual estimada até agora é de R$ 67,5 milhões. No Estado, 15.165 benefícios de auxílio-doença serão revisados. Ou seja, a redução de gastos deve ser ainda muito maior, uma vez que ainda restam pasasar pelo crivo do MDS mais 8.861 benefícios paraenses.

O pente-fino focou naqueles beneficiários que há mais de dois anos não passavam por revisão no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), o que é obrigatório.

Em todo País foram realizadas 200 mil perícias. Desse total, o governo decidiu cancelar 180 mil auxílios-doença e espera economizar R$ 2,6 bilhões por ano.

Em 2016, o INSS informou que foram identificadas falhas em oito de cada 10 auxílios-doença revisados. Em alguns casos, havia pessoas recebendo há anos e trabalhando em dois lugares.

A revisão começou no ano passado com a Medida Provisória 739, que deveria ter se tornado lei em 120 dias, o que não ocorreu. Com isso, em janeiro deste ano, foi editada uma nova medida provisória que também trata da revisão do auxílio-doença, além da aposentadoria por invalidez paga aos que têm menos de 60 anos. (Ormnews)

Nenhum comentário:

Postar um comentário