Fale com este blog

E-mail: ercio.remista@hotmail.com
Celular: (91) 8136-7941
Para ler postagens mais antigas, escolha e clique em um dos marcadores relacionados ao lado direito desta página. Exemplo: clique em Santarém e aparecerão todas as postagens referentes à terra querida. Para fazer comentários, eis o modo mais fácil: no rodapé da postagem clique em "comentários". Na caixinha "Comentar como" escolha uma das opções. Escreva o seu comentário e clique em "Postar comentário".

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Amazonino lidera disputa para o governo do Amazonas, no domingo

 
Amazonino lidera e venceria Eduardo e Rebeca no 2º turno, mas ela se aproxima do político veterano e venceria o candidato do PMDB.
O veterano político Amazonino Mendes (PDT) lidera em todas as simulações, de primeiro e segundo turno, as intenções de voto na eleição para governador do Amazonas, a ser realizada neste dominho (6). Nas referências espontâneas, considerando os três principais candidatos, Amazonino tem 23,8%, contra 14,9% de Eduardo Braga (PMDB) e 8,8% de Rebecca Garcia (PP). No entanto, 29,3% são sabem e 14,5% optaram por Nenhum, Branco ou Nulo. A eleição não deverá ser decidida em primeiro turno.

A pesquisa foi realizada pelo instituto DMP para a Rede Tiradentes de comunicação, e entrevistou 1204 eleitores entre os dias 30 de julho e 3 de agosto de 2017. Registrada na Justiça Eleitoral sob nº AM-03056, o levantamento tem 95% de confiança e margem de erro de 3%, segundo o responsável pela apresentação dos resultados, estatístico Erico Jander da Silva Lopes. Foram entrevistados eleitores residentes na área urbana de Manaus e em 6 municípios do interior do Estado.

Na pesquisa estimulada, quando os entrevistados são confrontados com a lista de candidatos, Amazonino Mendes também lidera, somando 32% das intenções de voto. Em 2º lugar se encontra Eduardo Braga com 21% e Rebecca Garcia está em 3º, com 15%. Em seguida aparecem os candidatos José Ricardo (7%) e Liliane Araújo (4%). Todos os demais candidatos registram apenas 1% das intenções de voto: Wilker Barreto, Luiz Castro, Jardel Deltrudes e Marcelo Serafim. As opções Nenhum, Branco e Nulo somam 11%, e 6% ainda não sabem em quem vão votar.

Na hipótese de eleição sem a candidata Liliane Araújo, Amazonino registra 41% dos votos válidos, enquanto Eduardo soma 26%, Rebecca 19% e José Ricardo 9%. Já os candidatos Wilker, Luiz, Jardel e Marcelo somam 1% dos votos válidos. cada um.

Braga: rejeição elevada
O senador Eduardo Braga lidera a lista dos candidatos mais rejeitados: 30% dos entrevistados afirmaram que não votariam nele de jeito nenhum, seguido de Amazonino (21%), Marcelo Serafim (9%) e Jardel Deltrudes (6%). Dos três principais candidatos, Rebecca Garcia tem a menor rejeição: 5%. No levantamento estimulado da rejeição dos candidatos, os índices dos demais candidatos são: José Ricardo (4%), Luiz Castro (3%), Liliane Araújo (1%) e Wilker Barreto (1%). Nenhum deles é rejeitado para 10% dos eleitores e 10% não sabem dizer.

Amazonino venceria no 2º turno
O candidato Amazonino Mendes lidera em todas as simulações de segundo turno. Em eventual disputa contra o candidato do PMDB, Amazonino teria hoje 43%, enquanto Eduardo Braga somaria 31%. Nessa disputa, 22% apontaram as opções Nenhum, Branco ou Nulo e 5% ainda não sabem.

Caso dispute o segundo turno com Rebecca Garcia, ambos teriam desempenho aproximados, praticamente configirando empate técnico: ele teria 41%, contra 37% da candidata do PP, enquanto 19% mencionaram as opções Nenhum, Branco ou Nulo e 4% ainda não sabem em quem votar.

Em um terceiro cenário de segundo turno, entre Eduardo Braga e Rebecca Garcia, ele perderia em razão de sua elevada rejeição. O candidato somaria 29%, contra 44% da adversária, enquanto 23% apontaram as opções Nenhum, Branco ou Nulo e 4% ainda não sabem.

Eleição está confirmada
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski decidiu manter a eleição direta para governador do Amazonas no próximo domingo (6). Na decisão anunciada nesta quinta (3), o ministro informou a rejeição do recurso protocolado pelo ex-vice-governador Henrique Oliveira, que pretendia assumir o cargo.

Com sua decisão, Lewandowski desmentiu as fofocas difundidas pelo governador interino, Davi Almeida, que insinuava ter algum tipo de combinação com o ministro para suspender a eleição de domingo. Almeida pretendia, a rigor, ser efetivado no cargo por meio de eleição indireta, na Assembleia Legislativa. É que, como presidente da Assembleia e após lotear todo o governo interino entre deputados estaduais, seria imbatível nesse tipo de disputa.

O TSE informou que a eleição suplementar vai custas R$18 milhões, incluíndo o segundo turno caso seja necessário. Cerca de 7 mil urnas eletrônicas serão disponibilizadas em 1.508 locais de votação. Serão 7.262 seções eleitorais para atender os mais de 2,3 milhões de eleitores.

As pesquisas mais recentes apontam o veterano Amazonino Mendes (PDT) como o favorito, com 32%, seguido de Eduardo Braga (PMDB) com 25% e Rebeca Garcia (PP) com 22%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário