Fale com este blog

E-mail: ercio.remista@hotmail.com
Celular: (91) 8136-7941
Para ler postagens mais antigas, escolha e clique em um dos marcadores relacionados ao lado direito desta página. Exemplo: clique em Santarém e aparecerão todas as postagens referentes à terra querida. Para fazer comentários, eis o modo mais fácil: no rodapé da postagem clique em "comentários". Na caixinha "Comentar como" escolha uma das opções. Escreva o seu comentário e clique em "Postar comentário".

terça-feira, 19 de agosto de 2014

Médico é baleado no centro de Belém

Médico é baleado no centro de Belém (Foto: )
Um médico (foto, com a esposa) foi baleado na tarde desta terça-feira (19), na avenida Nazaré, em frente à Basílica Santuário, no Centro de Belém. Segundo testemunhas, a vítima estava saindo de um banco e foi ferida durante uma tentativa de assalto.

De acordo com os relatos, o médico Antônio Cerejo havia saído do banco e entrado em um carro quando foi abordado por dois homens em uma moto. O suspeito que estava de carona desceu armado do veículo e anunciou o crime. O médico então tentou fugir do local, mas acabou sendo baleado no braço. Os suspeitos fugiram do local.

A vítima recebeu ajuda de pedestres que passavam pelo local, enquanto aguardava a chegada de ambulâncias. (Dol)

Entrevista com Dilma acende holofotes sobre Bonner

Como diria um veterano político, nunca antes na história deste país William Bonner gerou tantos comentários nas redes sociais — elogios, críticas, ironias, hashtags — como na noite de ontem (18), quando ele e Patrícia Poeta entrevistaram a presidente Dilma Rousseff no ‘Jornal Nacional’.

Durante os 15 minutos e 52 segundos de duração da conversa, o apresentador interrompeu a candidata do PT à releição 21 vezes. Nos 18 anos como âncora do principal telejornal da Globo, e o de maior audiência do país, Bonner jamais foi tão incisivo com um entrevistado.

Já na primeira pergunta, o jornalista repetiu 7 vezes a palavra ‘corrupção’ para questionar Dilma sobre os escândalos envolvendo seus ministérios. O embate entre ele, sempre insatisfeito com as respostas, e a presidente durou 7 minutos e 15 minutos.

Só depois disso Patrícia Poeta, até então espectadora do ‘duelo’, fez sua primeira pergunta, mudando o assunto da pauta para saúde. Porém logo Bonner e Dilma voltaram a se enfrentar. O apresentador fez 5 intervenções tentando interromper a presidente para enfim lançar o terceiro tema: economia.

Faltavam pouco mais de 3 minutos para o fim da entrevista quando ele conseguiu finalmente questionar a candidata sobre inflação, superávit, expectativa de crescimento e responsabilidade sobre os números da economia.

Seguiu-se um novo round entre Bonner e Dilma, com o apresentador questionando cada frase da presidente. Aos 14:35 a candidata foi interrompida: “Nosso tempo está acabando”, avisou Bonner. “Acabou?”, reagiu a petista.

Mesmo com o tempo quase estourado, o apresentador e editor-chefe do ‘JN’ informou que iria garantir a Dilma o espaço de 1 minuto e meio concedido a todos os presidenciáveis para as considerações finais.

Perto dos 15 minutos e 30 segundos, Bonner e Poeta tentaram fazer a presidente encerrar sua mensagem. Mas ela ainda falou por mais 20 segundos.

Na despedida, Dilma Rousseff emitiu uma frase de impacto: “Eu acredito no Brasil. Acho que, mais do que nunca, todos nós precisamos acreditar no Brasil”.

Lembrou a declaração — posteriormente transformada em um quase mantra — do então candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, na entrevista concedida na terça-feira (12).

Menos de quatorze horas antes de morrer no acidente aéreo em Santos (SP), o ex-governador pernambucano convocou: “Não vamos desistir do Brasil”.

Apesar do tom enérgico adotado por William Bonner, e das interrupções de sua fala que ela raramente admite no dia a dia, a presidente Dilma Rousseff manteve a calma.

Ao retrucar, não soltou nenhum “meu filho” nem “milha filha”, o que costuma fazer quando está prestes a perder a paciência com os interlocutores, especialmente repórteres.

Foi a entrevista mais contundente das três realizadas até aqui. Além de Dilma e Campos, o ‘JN’ sabatinou Aécio Neves, candidato do PSDB, na segunda-feira (11).

No último fim de semana, William Bonner retuitou uma mensagem que explica sua postura na série do ‘Jornal Nacional’ com os candidatos à Presidência: “Jornalista que não é incisivo com o entrevistado vira assessor de imprensa”.

Dilma diz que Brasil ganhou meios de se manter como país de classe média

A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, afirmou ontem (18), em entrevista ao Jornal Nacional, que os governos dela e do antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva prepararam o país para um novo ciclo de crescimento e para consolidar a classe média. Ela também foi indagada sobre sucessivos escândalos de corrupção na administração federal e sobre a posição do PT na defesa dos condenados no mensalão.

Entenda como funciona a propaganda eleitoral na televisão e no rádio

Inicia nesta terça-feira (19/8) a propaganda política eleitoral. As regras sobre o uso do Horário Eleitoral Gratuito foram definidas em resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Veja como funcionará a propaganda na televisão e no rádio:

Jabor prega golpe e compara PT ao Jango de 63

 :
O colunista Arnaldo Jabor comparou o PT atual ao Jango de 1963. Segundo ele, o desejo da presidente Dilma Rousseff e de seu partido é tomar o governo para mudar o Estado. Leia:

O califado petista
As eleições para presidente não serão “normais” – apenas uma disputa entre dois partidos para ver quem fica com o poder. Não. Trata-se de uma batalha entre democratas e não democratas. Está na hora de abrirmos os olhos, porque está em curso o desejo de Dilma e seu partido de tomar o governo para mudar o Estado. Não tenho mais saco para tentar análises políticas sobre a “não política”. Não aguento mais tentar ser “sensato” sobre a insensatez. Por isso, só me resta fazer a lista do que considero as doenças infantis do petismo, cuja permanência no poder pode arrasar a sociedade brasileira de forma irreversível.

O petismo tem a compulsão à repetição do que houve em 1963; querem refazer o tempo do Jango, quando não conseguiram levá-lo para uma revolução imaginária, infactível. Os petistas querem a democracia do Comitê Central, o centralismo democrático, o eufemismo que Lênin inventou para controlar Estado e sociedade. Eles não confiam na “sociedade”; só pensam no Estado, na interferência em tudo, no comportamento dos bancos, nos analistas de mercado e principalmente no velho sonho de limitar a liberdade de opinião. Assinam embaixo da frase de Stálin: “As ideias são muito mais poderosas do que as armas. Nós não permitimos que nossos inimigos tenham armas, por que deveríamos permitir que tenham ideias?” Nossa maior doença – o Estado canceroso – será ignorada e terá uma recaída talvez fatal. Não fazem autocrítica e não querem ser criticados. A teimosia de Dilma é total – vai continuar errando com galhardia brizolista. Sua ideologia é falha, mal-assimilada nessa correria sindicalista e pelega. Até agora governaram um país capitalista com regras e métodos anticapitalistas – dá no desastre econômico a que assistimos. Eles odeiam a competência.

Acham que administrar é coisa de burguês – vejam o estrago atual. Acham que planejam a História, que “fazem” a História. Por isso, adotaram a mui útil “mentira revolucionária”. Assim, podem ocultar tudo da sociedade para o “bem dela”. Aliaram-se ao que há de pior entre os reacionários brasileiros e vivem a volúpia de imitá-los, com um adorável “frisson” perverso ao cometerem malfeitos para “fins justos”. Aliás, nem sabem o que são seus “fins”; têm uma vaga ideia de “projeto”, que não passa de um sarapatel de “gramscianismo” vulgar com getulismo tardio e um desenvolvimentismo dos anos 60. Foi assim que criaram a “roubalheira de esquerda”, que chamam de “desapropriação” de dinheiro da burguesia. Isso justificou o mensalão, feito para eleger Dirceu presidente em 2010. Fracassaram. Aliás, o PT abriga muitos fracassados porque, ao se dizerem “revolucionários”, sentem-se superiores a nós, os alienados, os neoliberais, os direitistas, os vendidos ao imperialismo.

Não entendem o mundo atual e continuam com os pressupostos de uma política dos anos 30 na URSS. Leiam os livros do período e constatem se um Gilberto Carvalho não pensa igualzinho ao Molotov. Para eles, a oposição é a união da “burguesia” contra o “povo”. No entanto, quem se aliou à pior burguesia patrimonialista foram eles; ou Sarney, Renan, Jucá, Maluf e Severino do macarrão são bolcheviques? Petistas só pensam no passado como vítimas ou no futuro como salvadores e heróis. O presente é ignorado, pois eles não têm reflexão crítica para entendê-lo. Adoram estar num partido que pensa por eles. Dá um alívio não ter de pensar – só obedecer. A mediocridade sonha com o futuro onipotente. A morte súbita de Eduardo Campos pirou os “hegelianozinhos de pacotilha” que descobriram que a História é intempestiva e não obedece ao Rui Falcão. Agora, rumam em massa para Pernambuco para elogiar quem chamavam de “traidor e menino mimado”.

Querem criar os tais “conselhos” sociais, para adiar os problemas, fingindo uma “humildade democrática” para “ouvir” a população, de modo a ocultar seu autoritarismo renitente. Vivem a ideia de um futuro socialista como o substituto do sonho de “imortalidade” dos cristãos. Comunista não morre; vira um conceito. O homem é um ser social, e o “ser social” nunca morre. Para eles (e para o Kim da Coreia do Norte), o indivíduo é uma ilusão que criou essa dor melodramática. Quem morre é pequeno-burguês. Muitos intelectuais e artistas que sabem dessas doenças infantis preferem cavalgar o erro a mudar de ideia. Consola a consciência ter uma estrelinha vermelha pendurada na alma.

Os petistas têm uma visão de mundo deturpada por conceitos compartimentados e acusatórios: luta de classes, vitimização, culpados e inocentes, traidores e traídos. Acham que a complexidade é um complô contra eles, acham a circularidade inevitável da vida uma armação do neoliberalismo internacional. Confundem simplicidade com simplismo. Nunca fazem parte do erro do mundo; sentem-se superiores a nós, tocados pelo dedo de Deus.

Agora, no mundo modificado pelo fim do socialismo real, pelos impasses do Oriente Médio, pela crise financeira do capitalismo, pela revolução digital, sentem falta de uma ideologia que os justifique e absolva. E como não existe nenhuma disponível (social-democracia, nem pensar...), apelam para o tosco bolivarianismo que nos contamina aos poucos. É inacreditável como batem cabeça para ditadores e criminosos, de Ahmadinejad a Maduro, de Putin a Fidel, tudo em volta do fascismo populista de Chávez.

Dilma se acha Brizola, Lula imita Getúlio: nacionalismo, manipulação da liberdade, ódio a estrangeiros, desconfiança dos desejos da sociedade. Nada pior do que o brizolismo-getulista neste momento do país. Estávamos prontos para decolar no mundo contemporâneo, mas seguraram o avião e voltamos para trás.

Por isso, repito a frase oportuna de Baudrillard: “O comunismo, hoje desintegrado, tornou-se viral, capaz de contaminar o mundo inteiro; não por meio da ideologia, nem do seu modelo de funcionamento, mas por meio do seu modelo de des-funcionamento e da desestruturação da vida social”.    (Brasil 247)

Conferência reunirá advogados do Pará

A Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Pará (OAB-PA) realizará entre os dias 10 e 12 de setembro a VI Conferência dos Advogados do Estado do Pará, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. O evento é realizado a cada triênio para que advogados, bacharéis, estagiários e acadêmicos de direito possam discutir teses e diretrizes de atuação para os três anos seguintes. 

O evento é considerado o momento máximo do exercício da classe no Pará, onde são trocadas experiências jurídicas e discutidos temas relevantes para os advogados. A programação conta com a participação de conferencistas nacionais e estrangeiros, que atuarão em painéis, palestras, minicursos, workshops e oficinas. O tema desta edição do evento será “Constituição democrática e efetivação dos direitos na Amazônia” e deverá reunir 1500 participantes de todas as regiões do Estado.

Entre as personalidades que já confirmaram presença estão: a ministra Carmen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal; o ministro Francisco Falcão, do Superior Tribunal de Justiça e que também exerce o cargo de Corregedor Nacional de Justiça; Gilberto Valente Martins, promotor e Conselheiro Nacional de Justiça; entre outros.

Papa diz que lhe restam apenas “2 ou 3 anos” de vida

De maneira inédita, o Papa Francisco conversou com jornalistas sobre sua saúde e perspectiva de vida. Durante coletiva de imprensa que aconteceu no voo de retorno ao Vaticano da viagem à Coreia do Sul, ontem (18), ele disse que tenta observar seus erros e pecados para não ser orgulhoso, já que lhe restam apenas “dois ou três anos de vida”. As informações são do Daily Mail.

Francisco tem 77 anos e, apesar da idade avançada, é um dos mais ativos que já passaram pelo cargo. Na entrevista, ele considerou a possibilidade de se aposentar, caso suas condições de saúde física e mental lhe sirvam como obstáculo para concluir suas ações. No ano passado, o Papa Bento XVI renunciou ao cargo, sendo o primeiro em mais de 600 anos a tomar tal atitude (o último que havia abdicado foi Celestino V, em 1294, por causas políticas). Francisco disse que “há 60 anos, era praticamente impossível um bispo católico se aposentar, mas hoje em dia é comum”.

O Papa argentino teve de retirar um de seus pulmões durante a adolescência por causa de uma infecção grave. Porém, ele contou aos jornalistas nesta segunda-feira, que sofre por doenças de nervos e que, de vez em quando, precisa tratá-los com mate (o chá bastante tomado em seu país de origem). “Uma dessas minhas neuroses é ser muito caseiro”, brincou já que suas últimas férias fora da Argentina foram em 1975, quando visitou uma comunidade jesuíta.

Ainda nesta viagem, ele afirmou que pretende se aproximar dos católicos na China, que, desde a instauração do comunismo, não obedecem à autoridade máxima de sua Igreja e, sim, à supervisão da Administração Estatal para Assuntos Religiosos.
Leia também > Bebês sobrinhos do Papa morrem em acidente 

As 10 modelos mais bem pagas do mundo

Elas são brasileiras: Gisele Bündchen em 1º lugar, Adriana Lima em 3º e Alessandra Ambrosio em 8º na lista  da “Forbes”
A revista norte-americana “Forbes” atualizou nesta segunda-feira a lista com as modelos mais bem pagas do mundo. Sem surpresas, Gisele Bündchen aparece na primeira colocação do ranking, com ganhos de US$ 47 milhões entre junho de 2013 e junho deste ano, graças a contratos polpudos com marcas como a rede de fast-fashion sueca H&M, a Chanel e a Carolina Herrera.
Os ganhos de Gisele – que já faturou US$ 386 milhões desde 2001 - também são US$ 16 milhões superiores aos do marido dela, o jogador de futebol americano Tom Brady, que no mesmo período de junho do ano passado a junho deste ano faturou US$ 31,3 milhões.

Completam o top 10 das modelos mais bem pagas do mundo as belas Doutzen Kroes (US$ 8 milhões), Adriana Lima (US$ 8 milhões), Kate Moss (US$ 7 milhões), Kate Upton (US$ 7 milhões), Miranda Kerr (US$ 7 milhões), Liu Wen (US$ 7 milhões), Alessandra Ambrosio (US$ 5 milhões), Hilary Rhoda (US$ 5 milhões), Natalia Vodianova (US$ 4 milhões) e Carolyn Murphy (US$ 4 milhões). Fonte: Glamurama
Dilmês vs. marinês
Quando fala de improviso, até mesmo em eventos do governo, a presidente Dilma Rousseff, vira e mexe, constrói frases estranhas, sem significado, que já renderam até reportagens especiais, mostrando coleção de suas surpreendentes sentenças. E repete muito determinadas palavras. É o chamado dilmês (no lulês, além do chavão “nunca antes nesse país”, o ex-presidente abusa do “extraordinário”). Nesse quesito, Marina Silva também é adepta de uma linguagem muito própria, o que nem sempre até mesmo seus assessores conseguem entender. E igualmente abusa do “programático” e do “pragmático”, o que metade do universo de eleitores não tem a menor idéia do que significam. No horário eleitoral, que começa hoje, Dilma lerá no telepromter o que João Santana escreveu; Marina só falará em marinês.
Contra Patrícia
Na internet, viraram corrente manifestações contra Patrícia Poeta. Quando Eduardo Campos foi ao Jornal Nacional, quase no final, disse a frase que virou slogan até em camisetas: “Não vamos desistir do Brasil”. E falou mais um pouco, sendo cortado por Patrícia, dura: “Seu tempo acabou, candidato”. Na web, internautas creditam à ancora do Jornal Nacional uma espécie de trágico vaticínio.
Salmo 23
Quando o avião balança, Dilma Rousseff confessa que “recorre a Nossa Senhora”. Marina Silva tem medo de avião: a bordo, lê algum livro que carrega na bolsa. Na maioria das viagens, contudo, lê a Bíblia. No vôo que a levou ao Recife, para a cerimônia de sepultamento de Eduardo Campos, leu, durante todo o tempo, o Salmo 23. É um dos mais conhecidos e o predileto de Marina, que começa: “O Senhor é meu pastor, nada me faltará”.  
Aviso prévio
Manter acordos acertados por Eduardo Campos e não investir contra eles, especialmente no caso de São Paulo, ainda será conversa mais prolongada entre Marina Silva e o PSB. Mas para o presidente em exercício do PSB, Roberto Amaral, ela foi categórica: eleita ou não eleita, ela não permanecerá como integrante do PSB e se voltará para o registro oficial da Rede Sustentabilidade. A hipótese de Renata Campos, viúva, de Eduardo Campos, formar como vice, enfrentaria problemas jurídicos. Ela é servidora do Tribunal de Contas de Pernambuco e não se afastou do cargo dentro do prazo oficial dado pelo TSE.
Voto da fé
Pelas últimas pesquisas para o governo do Rio, Anthony Garotinho (PR) está aumentando sua distancia do segundo colocado, Marcelo Crivella (PRB), o primeiro com 25%, o segundo com 18%. Crivella havia decidido se separar da Igreja Universal do Reino de Deus, de Edir Macedo, da qual é pastor. Garotinho, ao contrário, vem ganhando, cada vez mais, votos do bloco evangélico. Melhor leitura das pesquisas reflete o peso do voto dos fiéis.
Cenas quentes
Novela – e mesmo série – que se preza na Globo, deve ter cenas quentes entre personagens, com direito a nudez, malgrado advertência da direção da emissora, que não quer excessos e até cortou trechos de embates entre Maria Isis (Marina Ruy Barbosa) e José Alfredo (Alexandre Nero). Na nova série de Gloria Perez, Dupla identidade, que estreará em setembro, haverá cenas de sexo entre os personagens de Débora Falabella e Bruno Gagliasso.
Barrado no baile
Se acontecesse alguma coisa a Dilma Rousseff, o PT não colocaria em seu lugar o vice Michel Temer. Quando a conversa sai em rodas de petistas, a resposta é uma só: Lula seria candidato. Agora, o PMDB reclama que no material da campanha pela reeleição de Dilma, Temer nem mesmo é citado. Em todas as peças, quem está ao lado da presidente é Lula. O atual vice-presidente também não aparece em adesivos. O comando da campanha de Dilma tenta tranquilizar os peemedebistas, dizendo que Michel aparecerá no horário eleitoral da TV.
Vilãs nas unhas
Quem diria: a Colorama vai lançar uma linha de esmaltes em homenagens às vilãs mais famosas das telenovelas. As cores chegarão ao mercado com nomes de Odete, Tereza Cristina, Nazaré, Altiva, Carminha e Maria de Fátima.
Sob comoção
Nove entre dez analistas políticos acham que os resultados da primeira pesquisa com Marina Silva aparecendo no lugar de Eduardo Campos (empatando com Aécio Neves no primeiro turno e vencendo Dilma no segundo) retratam a comoção que dominou brasileiros diante do trágico acidente. Os mais veteranos chamam a atenção para os índices de intenção de voto para Aécio Neves, que continuaram os mesmos. Eles ainda apostam que, já nas próximas semanas, dependendo especialmente do comportamento de Marina Silva que, em 2010, fez uma campanha personalista, esse quadro, certamente, poderá mudar, até mesmo com Renata Campos a seu lado, no palanque.
Herdeiro
João Campos, 20 anos, filho de Eduardo Campos, já é considerado seu herdeiro político. Há alguns meses, um bloco do PSB insistia junto ao ex-governador de Pernambuco, que ele já deveria ser lançado candidato este ano. Eduardo não autorizou: João cursa Engenharia na Universidade Federal de Pernambuco.
Virou cota
Entidades que representam o bloco LGBT estão reclamando junto a Rede Globo dos exageros aos quais o ator Paulo Betti recorre para montar seu personagem Téo Pereira, um cabeleireiro gay na novela Império. Acham que faz uma caricatura. O autor Aguinaldo Silva, gay assumido, defende Betti, acha brilhante seu trabalho e ironiza: “Está cheio de gays por aí daquele jeito”. Por outro lado, o ator Marcelo Serrado, o Crô, voltará a interpretar um gay no filme Rio, eu te Amo, no episodio dirigido por Stephan Elliot. E avisa: “Não vai ter pegação, nada disso”. Sobre a inflação de personagens homossexuais na TV, brinca: “Gay agora virou cota em novela”.
Conspiração no ar
Não apenas no programa de José Luis Datena, o Brasil Urgente, é que a repercussão anunciada pela Aeronáutica, segundo a qual a caixa preta do avião que levava Eduardo Campos e que caiu em Santos, não gravou nada do acidente, ganha versões suspeitas. Programas regionais semelhantes, espalhados pelo país, estão explorando o assunto e colocando no ar depoimentos de figuras que não acreditam muito na versão da Aeronáutica. No Planalto, a ordem é tentar acabar com quaisquer suspeitas, que proliferam mais nas redes sociais.
Sem futuro
Malgrado grande atuação na Libertadores de 2013, ninguém no Atlético Mineiro se incomodou quando Ronaldinho Gaúcho resolveu sair. Já vinha sendo substituído e nem lembrava mais o craque que foi no passado. Uma suposta negociação com o Fluminense acabou sendo negada, o que também aconteceu com o Santos. No Palmeiras, discute-se a possibilidade de um contrato por produtividade. Detalhe: Ronaldo Gaucho é dono de uma fortuna acumulada de mais de R$ 200 milhões.
 Marina Mantega
Adeus a Neymar
Agora, a própria Bruna Marquezine, que acaba de completar 19 anos, é que trata de confirmar que o namoro com o jogador Neymar Jr. está mais do que terminado. Os dias em Ibiza, juntos, já tinham o rotulo de “bons amigos”. Bruna quer um compromisso sério, apesar da idade, sonha em casar, ter filhos. “Nasci para ser mãe”. Ela é a atração da nova edição do Top Magazine e já entrando no mundo dos negócios, está lançando uma linha de esmaltes com seu nome.

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Marina tem 21% – e venceria Dilma no 2º turno, diz Datafolha

A primeira pesquisa Datafolha realizada após a trágica morte de Eduardo Campos mostra Marina Silva, provável substituta do ex-governador de Pernambuco, em segundo lugar na disputa presidencial. A ex-senadora, que deve ter sua candidatura oficializada pelo PSB na próxima quarta-feira, aparece com 21% das intenções de voto no levantamento divulgado nesta segunda pelo jornal Folha de S. Paulo. Marina tem um ponto a mais do que o tucano Aécio Neves, que aparece com 20% – os dois estão em empate técnico. A presidente Dilma Rousseff (PT) segue na frente, com 36% da preferência do eleitorado. Pastor Everaldo, do PSC, tem 3%.
Em relação à última pesquisa do instituto, divulgada em 17 de julho, Dilma e Aécio não oscilaram. Campos aparecia com 8% no levantamento. Marina, portanto, ganhou seus pontos em cima da redução do número de eleitores sem candidato. A taxa dos que votariam em branco ou em nulo caiu de 13% para 8%. Os eleitores indecisos passaram de 14% para 9%. Com a entrada de Marina na corrida, o segundo turno fica praticamente garantido. Agora, os rivais de Dilma somados possuem dez pontos percentuais a mais do que a presidente: 46% a 36%.

Segundo turno – Marina Silva também apresenta bons resultados na projeção de segundo turno. De acordo com o Datafolha, em uma eventual disputa contra Dilma, a ex-senadora venceria a presidente por 47% a 43%, resultado que está no limite de um empate técnico, considerando a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos da pesquisa. No cenário entre Dilma e Aécio, a petista abriu vantagem sobre o candidato do PSDB. Em 17 de julho, o placar marcava 44% contra 40% a favor da presidente. Agora, Dilma derrotaria Aécio por 47% a 39%.

A petista continua com a maior taxa de rejeição entre os candidatos: 34% dos entrevistados declararam que não votariam em Dilma. Para Aécio, este índice é de 18%. Marina começa a disputa com 11% de rejeição.

O Datafolha ouviu 2.843 eleitores em 176 municípios em 14 e 15 de agosto. Números da pesquisa foram disponibilizados em reportagem no site do jornal Folha de S. Paulo na madrugada desta segunda-feira (18).  Fonte:Veja

Ordem dos Advogados dos EUA terá primeira presidente negra

No próximo ano, a advogada americana Paulette Brown (foto) se tornará a primeira mulher negra a exercer o cargo de presidente da American Bar Association (ABA), a Ordem dos Advogados dos Estados Unidos. Em seu discurso durante o encontro anual da ABA em Boston, Massachusetts, ela delineou os objetivos de luta dos advogados, destacando um ponto associado a sua própria história: eliminar o preconceito racial e promover a diversidade no país.

A futura presidente conclamou os advogados a lutar contra os “preconceitos implícitos” na Justiça Criminal dos EUA, e ainda impregnados na cultura americana. Como um exemplo de preconceito implícito, ela lembrou que na sequência do furacão Katrina, na região de Nova Orleans, os brancos foram descritos como pessoas desesperadas que saíram às ruas em busca de alimentos, enquanto os negros foram descritos como saqueadores.

Ela chamou a atenção dos profissionais de Direito para um tipo de preconceito que acontece frequentemente nos tribunais: dois réus, no mesmo tribunal, com o mesmo juiz, recebem condenações diferentes pelo mesmo crime, por causa de suas características físicas. A mesma coisa acontece nas escolas: os estudantes negros, pela mesma indisciplina, são expulsos, enquanto os brancos são apenas disciplinados.

Discriminação contra gays
A Resolução 114B conclama os advogados americanos a lutar contra a discriminação de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais (LGBT), nos EUA e no mundo. A resolução adota uma política que reconhece os direitos das pessoas por sua orientação sexual e condena as leis, regulamentos e práticas que discriminam contra elas.

A resolução reconhece haver progressos significativos nos EUA e no mundo, mas não é o suficiente. E que ainda existem países em que a situação está piorando, em vez de melhorar. Na Nigéria, por exemplo, passou uma lei que prevê pena de prisão de dez anos “por homossexualidade”. Em abril, Brunei (Sudeste asiático) se tornou o oitavo país a punir com pena de morte “atos homossexuais”.

Defesa dos pobres
Os delegados no encontro anual da ABA aprovaram a Resolução 104B, que conclama todos os tribunais do país, especialmente os de recurso, a adotar regras que permitam aos assistentes jurídicos de empresas a prestar serviços pro bono a pessoas de baixa renda, que não dispõem de recursos para pagar honorários de advogados, nas jurisdições em que já representam seus empregadores.

Essa prática já é permitida em 31 jurisdições do país. Portanto, a ABA quer que ela seja adotada nas outras 19. A proposta foi apresentada pela Divisão de Jovens Advogados da ABA e pelo Comitê Permanente para Pro Bono e Serviço Público.

Defesa dos “mal-atendidos"
Cerca de 46% dos americanos vai à Justiça por conta própria (per se); 16% busca ajuda de familiares e amigos; e 16% nunca leva seu caso à Justiça. Em alguns casos, as pessoas não ajuízam porque não sabem que poderiam fazer isso. Na maioria dos casos, porque não têm dinheiro para arcar com os custos.

Essa é uma população “mal-atendida” pelo sistema judicial do país, que deveria ser colocada em contato com os bacharéis de Direito que não encontram emprego, depois da formatura, ou que convivem com o subemprego.

A Resolução 108 propõe exatamente isso: conclama as seccionais da ABA, os tribunais, as faculdades de Direito, as organizações comunitárias com divisões de assistência jurídica, os escritórios de advocacia e as fundações a criar programas sustentáveis, que coloquem os novos advogados à disposição da população “mal-servida” pelo sistema judicial.

Família de executados
Os delegados do encontro anual da ABA aprovaram a Resolução 110A, que conclama as jurisdições federal, estaduais e territoriais onde a pena de morte é adotada a aprovar leis que permitam a sucessores de qualquer prisioneiro executado continuar lutando, na Justiça, para provar sua inocência. Quando não houver sucessores, uma entidade jurídica poderá se encarregar disso.

Se os sucessores ou entidades jurídicas conseguirem provar a inocência de um executado, eles podem mover ação civil contra o Estado, em busca de indenização, pelo tempo em que o prisioneiro esteve encarcerado e pela sua execução, apesar de inocente.

Campanhas eleitorais de juízes
A Resolução 105C da ABA propõe aos estados e territórios a aprovação de leis que regulamente os procedimentos de desqualificação ou de recusa de juízes, nos casos em que um julgamento envolve pessoas ou empresas que financiaram sua campanha eleitoral para o cargo.

“Esses procedimentos devem levar em conta que certas despesas de campanha e contribuições levantam dúvidas sobre a imparcialidade ou independência judicial. A Suprema Corte já decidiu que o devido processo requer a recusa do juiz, quando o financiamento de sua campanha eleitoral representa um sério risco de parcialidade”, diz a resolução. (Conjur)

Vale a pena ler: A hipocrisia

Jornal do Brasil
Foto: O Povo Online
A hipocrisia política atormenta a cabeça do povo brasileiro. O acidente que matou o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos realmente faz com que a solidariedade humana seja indispensável. Não faz, contudo, com que seja indispensável também a hipocrisia política. O que se vê no velório do ex-governador chega a ser hilariante.

Opositores eternos de Campos, homens que fizeram campanhas violentas e ataques ferozes contra ele, no cenário nacional e no próprio estado de Pernambuco, homens que não o aceitavam como ministro do governo Lula e Dilma, hoje, estão ao lado do caixão e da família do político, como se fossem históricos amigos ou simpatizantes de Eduardo Campos.

O sepultamento e o velório são sagrados, momentos em que têm que imperar o respeito e o sentimento. Um tipo de solidariedade que sirva de publicidade pela imprensa ou como faturamento político é abominável. Se a solidariedade, de arrependimento ou reconhecimento, daqueles que sempre foram seus opositores realmente tiver que acontecer, que seja na intimidade sigilosa para que possa ser respeitada.

Esses que neste momento de dor, fundamentalmente da família - mãe, filhos, mulher e verdadeiros amigos -, tentam se aproveitar merecem do povo brasileiro desprezo e nojo.

Alckmin entrega a Renata Campos cordão encontrado nos destroços

Ontem, na missa em memória de Eduardo Campos, em Recife, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, deu à viúva do político socialista, Renata, algo que lhe trouxe conforto: um cordão de ouro com cinco medalhinhas, que pertencia ao ex-governador pernambucano. Cada medalha representa um dos filhos do casal. Junto com a aliança de casamento, o cordão era o objeto pessoal que Renata mais desejava reaver — e pedia empenho especial nessa tarefa. "Dona Renata fez o pedido para que encontrássemos o cordão e a aliança. Eu falei com o prefeito de Santos, Paulo Barbosa, para vasculhar os escombros, o lugar da queda do avião, e o cordão foi encontrado", disse o governador a jornalistas na saída do velório. Alckmin afirmou que entregou o objeto a Renata, que, com ar de alívio, afirmou que daria uma medalha a cada filho. Contudo, a letra R, que também estava no cordão, se perdeu.

Papa pede a jovens Igreja mais humilde e missionária

Foto: Reprodução/ internet
O papa Francisco pediu neste ontem (17) aos jovens que ajudem a construir uma Igreja mais humilde e missionária. O pedido foi feito durante a missa que marcou o fim do encontro de jovens católicos na Ásia, realizada na Fortaleza de Haemi, em Seul, capital da Coreia do Sul.

“Junto dos vossos bispos e sacerdotes, dedicai estes anos a construir uma Igreja mais missionária, mais humilde e mais sagrada”, pediu o pontífice durante a homilia. O papa também expressou o seu desejo de edificar “uma Igreja que ame e adore Deus” e que esteja vocacionada para “servir os pobres, os solitários, os doentes e os marginalizados”.

A missa, celebrada ao ar livre para seis mil jovens de 23 países asiáticos, marcou o encerramento da 6º Jornada da Juventude da Ásia. A visita do papa à Coreia do Sul termina nesta segunda-feira (18).

Marina explica por que não morreu: a mão de Deus

A ex-senadora Marina Silva falou pela primeira vez sobre o porquê de não ter embarcado no fatídico voo que decolou do Rio de Janeiro ao Guarujá, no dia 13, e matou Eduardo Campos. "Foi providência divina eu, Renata, Miguel e Molina não estarmos naquele voo", disse ela, referindo-se à esposa de Eduardo Campos, Renata, ao filho Miguel, e também ao assessor Rodrigo Molina.

A declaração acentua o caráter religioso da ex-senadora Marina Silva, mas também poderá ser interpretada como um traço messiânico de alguém que talvez se sinta predestinada a ocupar a presidência da República. Marina tentou ser candidata pela Rede, mas, como não obteve o registro do partido, acabou se filiando ao PSB, para ser vice de Eduardo Campos. Agora, com a morte do ex-governador pernambucano, ela deverá ser ungida candidata pelos socialistas.

No dia da morte de Eduardo Campos, assessores de Marina Silva afirmaram, em off, que ele não foi ao Guarujá (SP), porque a agenda previa a participação do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que se aliou ao PSB e recebeu o deputado Márcio França (PSDB-SP) como vice em sua chapa. Ferrenha opositora da aliança com os tucanos, Marina vinha evitando compromissos com a presença de Alckmin. (Brasil 247)

Dilma e Aécio foram ao velório de Eduardo Campos no Recife

A presidente Dilma Rousseff e o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, acompanharam na manhã de ontem (17) o velório do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, no Recife. Os dois se abraçaram ao se encontrar.

Dilma chegou ao Palácio Campo das Princesas, sede do governo do estado, por volta de 10h. Ela estava acompanhada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ao chegarem, ela e Lula foram vaiados por parte do público presente. Depois, vieram aplausos do palco onde estavam as autoridades, e o público acompanhou.

Dilma abraçou os familiares de Campos e trocou palavras com a viúva, Renata. A presidente ficou a maior parte do tempo distante do caixão. Lula também conversou com a viúva e com os filhos de Campos.

Aécio chegou logo depois da presidente, em um momento em que a a missa campal em homenagem a Campos começava. Ele se dirigiu ao palco das autoridades e cumprimentou Dilma com um beijo no rosto (foto). Depois, se sentou próximo a políticos de seu partido, como o governador de Alagoas, Teotônio Vilela Filho, e o ex-governador de São Paulo, José Serra.

Ao final da missa, Dilma, Aécio e Lula, que se sentaram próximos no palco das autoridades, se aproximaram dos filhos e da viúva de Campos. Eles abraçaram os familiares do ex-governador, que agradeceram as homenagens. Lula, visivelmente emocionado, chorava ao lado da família de Campos.

Dilma deixou o velório sem dar declarações e retornou para Brasília.'

Aécio afirmou que não havia justificativas para as vaias a Dilma quando ela chegou ao velório. 'Não acho que nessa hora nenhuma hostilidade justifique. Acredito que a presidente veio prestar solidariedade a um amigo", disse.

Indagado, Aécio comentou o cumprimento a Dilma. 'Claro, somos civilizados – ela, Lula, Marina'.

O candidato evitou falar de mudanças na disputa eleitoral. 'Não quero falar de eleição. Vim reverenciar um amigo que conheci 30 anos atrás. Sempre mantivemos relação de amizade', declarou.

Políticos de todo o país, tanto de partidos aliados do PSB como de adversários, lotaram o palco das autoridades durante o velório. Ao aeroporto do Recife, chegaram 63 aviões com convidados para o adeus a Campos.

Entre os políticos presentes, além de Dilma, Lula e Aécio, estavam a nova candidata a presidente pelo PSB, Marina Silva; o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin; o governador Agnelo Queiroz, do Distrito Federal; o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante; a ministra da Secretaria dos Direitos Humanos, Ideli Salvatti; o ministro do Esporte, Aldo Rebelo; o ex-ministro e candidato do PT ao governo paulista, Alexandre Padilha; o candidato a vice na chapa de Aécio Neves, senador Aloysio Nunes e o ministro do STJ Francisco Falcão.

Horário eleitoral começa

Começa amanhã (19) a propaganda partidária no rádio e na televisão. O horário eleitoral segue até o dia 2 de outubro, três dias antes da votação do primeiro turno.

Apesar de a propaganda nas ruas, com panfletos e cavaletes, por exemplo, e na internet estar liberada desde o dia 6 de julho, o horário eleitoral é a principal oportunidade de os candidatos aos cargos de deputado, senador, governador e presidente da República ganharem visibilidade para tentar conquistar o voto do eleitor.

A propaganda eleitoral para os candidatos que disputam o cargo de presidente será veiculada no rádio às terças, quintas e sábados em dois horários: das 7h25 às 7h50 e das 12h25 às 12h50. Na TV, nos mesmos dias, os horários serão das 13h às 13h25 e das 20h30 às 20h55. Às segundas, quartas e sextas, a propaganda será destinada aos demais cargos em disputa

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

San Lorenzo, o time do papa, conquista a Libertadores

Jogadores do San Lorenzo erguem o troféu da Libertdores
Jogadores do San Lorenzo erguem o troféu da Libertdores
Fundado no longínquo ano de 1908, o San Lorenzo viveu o momento mais importante de sua história nesta quarta-feira. Ontem à noite, no Estádio Nuevo Gasómetro, o time recebeu o Nacional, do Paraguai, e confirmou seu favoritismo, vencendo de maneira inédita a Taça Libertadores da América. Depois de empatarem o jogo de ida da decisão em 1 a 1, os comandados do técnico Edgardo Bauza derrotaram o rival por 1 a 0, com gol de pênalti de Néstor Ortigoza, e fizeram a alegria da massa azul e grená, abençoada com o apoio de seu mais ilustre torcedor: o papa Francisco.

Assim, o clube de Buenos Aires encerra o estigma de ser o único time expressivo da Argentina que não havia conquistado a principal competição do futebol sul-americano. Além da taça, acompanhada da premiação financeira, o San Lorenzo garantiu vaga no Mundial de Clubes, que será disputado entre os dias 10 e 20 de dezembro, no Marrocos. Até o momento, também selaram presença no torneio Real Madrid (Espanha), Cruz Azul (México), Auckland City- (Nova Zelândia) e Moghreb Tétouan (Marrocos).

Merval e Jabor pressionam: tem que ser Marina

Os comentaristas da Globo, Merval Pereira e Arnaldo Jabor, assumiram o papel de defensores de Marina Silva como candidata, depois da tragédia que provocou a morte do candidato a presidente da República Eduardo Campos. A ex-senadora era candidata a vice na chapa do ex-governador de Pernambuco. Merval disse que "ela assume um protagonismo natural nessa tragédia". Jabor foi mais explícito: "Não acredito que o PSB seja tão burro a ponto de não indicar Marina".

"Muda completamente a campanha eleitoral, o cenário político brasileiro", comentou Merval sobre a morte de Campos, na rádio CBN. "Marina passa a ser a figura central nessa tragédia e ganha um protagonismo natural nessa tragédia. Já dá para dizer que ela é a indicada [a substituir Campos]", afirmou ainda o colunista.

"Tenho a impressão que o comando da campanha e desta nova opção política passa automaticamente para a Marina e a união da Rede e do PSB ganha uma nova história daqui pra frente", acrescentou. Segundo Merval Pereira, a sucessão presidencial "fica sem perspectiva diante de fatos tão trágicos" e a perda de Eduardo Campos "vai ter consequências profundas nessa campanha", em sua avaliação.

Já Arnaldo Jabor afirmou que "certamente" Marina será indicada pelo PSB nesse novo cenário eleitoral. "Tem gente achando que vai prejudicar o [candidato do PSB], Aécio Neves, tem gente achando que vai prejudicar a [presidente] Dilma, tem gente achando que fará um segundo turno sem dúvida, porque a Marina certamente vai ser indicada pelo PSB, apesar de ter diferenças com o PSB, não acredito que o PSB seja tão burro a ponto de não indicá-la".

O comentarista comentou ainda que "estamos perplexos diante da imprevisibilidade das coisas", e acrescentou: "aliás, é até bom viver assim porque... não adianta ter certezas". Arnaldo Jabor disse que espera "que as eleições sejam justas, porque o Brasil está precisando de uma benção". O colunista aproveitou para criticar o PT, partido que, segundo ele, "está no poder e se agarra no poder como se o poder fosse a salvação da humanidade, quando na verdade é a salvação deles". (Brasil 247)
Pelé: novo casório
Pelé está se preparando para casar pela terceira vez: a eleita é Márcia Cibele Aoki, com quem ele já vive no Guarujá. Ela tem 25 anos a menos do que o ex-craque que, aos amigos, diz que Márcia “é a última paixão da minha vida”. Eles se conheceram nos anos 80 numa festa em Nova York e se reencontraram em 2010 no elevador do prédio onde moravam, na Alameda Itu, em São Paulo. A primeira mulher de Pelé foi Roisimeri Cholbi, com quem teve três filhos e segunda foi a cantora gospel Assiria Nascimento, mãe de seus filhos gêmeos. Também nos anos 80, ele namorou Xuxa Meneghel.
DJ bem paga
Paris Hilton acaba de estrear como DJ em Portugal, atuando na boate Seven, na Marina de Vilamoura, complexo de luxo no Algarve e na Pacha Ofir, Lisboa. Para beber, muito energético. Há semanas, por quatro noites de trabalho em Ibiza, na Espanha, recebeu dois milhões de euros. O The Sun calculou 260 mil euros para tocar uma hora.
Muletas
São as chamadas muletas que muita gente não consegue dispensar em seus discursos. Nos tempos de Lula era “nunca antes nesse país”, o que, depois, entrou para o folclore político brasileiro. Dilma, há tempos, não abre mão do seu “veja bem” e nos últimos tempos, adotou um “simplesmente”. Agora, quando o tema é o setor elétrico, a presidente usa e abusa do adjetivo “robusto”.
Tudo é cultura
Há dias, a cantora Anitta ganhou autorização do Ministério da Cultura, através da Lei Rouanet, para captar R$ 3 milhões para seu novo show. Agora, Luan Santana também foi beneficiado com R$ 4,1 milhões para sua nova turnê, via o mesmo expediente.
Fiéis contra
O pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus – Vitória em Cristo, comanda uma verdadeira cruzada nacional junto ao segmento evangélico para que não vote mais no PT. Ele garante que os petistas procuram os fiéis de quatro em quatro anos e depois, passam todo o mandato atacando os valores da doutrina do grupo. Dilma está em busca do voto dos evangélicos e foi até a inauguração do Templo de Salomão, da Universal. A consequência foi o aumento da carga de ira de Malafaia.