Fale com este blog

E-mail: ercio.remista@hotmail.com
Celular: (91) 8136-7941
Para ler postagens mais antigas, escolha e clique em um dos marcadores relacionados ao lado direito desta página. Exemplo: clique em Santarém e aparecerão todas as postagens referentes à terra querida. Para fazer comentários, eis o modo mais fácil: no rodapé da postagem clique em "comentários". Na caixinha "Comentar como" escolha uma das opções. Escreva o seu comentário e clique em "Postar comentário".

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

CNT/MDA aponta empate técnico, com Dilma à frente

:  
Pesquisa CNT/MDA divulgada na manhã desta segunda-feira 20 confirma o empate técnico apontado nas mostras Datafolha e Ibope da semana passada, mas com a presidente Dilma Rousseff (PT) numericamente à frente de Aécio Neves (PSDB).

A candidata à reeleição registrou 50,5% dos votos válidos, contra 49,5% do candidato tucano. Esta foi a primeira pesquisa do instituto MDA no segundo turno, portanto não há cenário de comparação com levantamentos anteriores.

Contabilizando os votos gerais, com brancos e nulos, a vantagem da petista é mesma: 45,5% das intenções de voto a Dilma, ante 44,5% a Aécio Neves. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais.

O instituto MDA realizou 2.002 entrevistas em 137 municípios de 25 estados no sábado 18 e no domingo 19, portanto antes do terceiro debate presidencial, exibido pela TV Record na noite deste domingo.  (Brasil 247)
Uma pesquisa por dia
Será, como era de se esperar, uma semana, cheia de novas pesquisas. Das que interessam, será divulgado um Datafolha presidencial hoje à noite. Uma pesquisa feita inteiramente hoje. Captará, assim, em seu resultado parte das repercussões do debate de ontem.

Na quarta-feira, um novo Datafolha. Na quinta-feira, uma pesquisa Ibope e novamente outra do Datafolha. No sábado, os dois institutos divulgarão novo levantamento. (Coluna Radar on-line/Veja)

Aécio Neves e Jatene fazem comício nesta segunda em Belém

O candidato à Presidência da República, Aécio Neves, e o governador do Pará e candidato à reeleição, Simão Jatene, ambos do PSDB, fazem o “Comício da Vitória” hoje, às 19 horas, na avenida Pedro Miranda com a travessa Alferes Costa, bairro da Pedreira, em Belém. Os dois candidatos lideram diversas pesquisas de intenções de votos para a Presidência e para o governo do Estado. O encontro com os eleitores paraenses também contará com a presença de tucanos, como os prefeitos Zenaldo Coutinho (Belém), Manoel Pioneiro (Ananindeua) e Alexandre Von, de Santarém, o terceiro maior município do Pará. Os senadores Flexa Ribeiro e Mário Couto, também do PSDB, e outras lideranças políticas da região metropolitana e do interior do Estado vão participar do evento, que deve reunir 50 mil pessoas, de todas as regiões do Estado, 70 prefeitos, nove deputados federais e mais de 20 deputados estaduais.
No comício, Simão Jatene e Aécio Neves prometem reforçar seus compromissos em favor do Pará e do Brasil. O candidato à Presidência anunciou, inclusive, obras para o Estado, as quais serão iniciadas ainda no seu primeiro ano de governo, a exemplo do asfaltamento completo da rodovia BR-163 (Cuiabá-Santarém), o derrocamento do Pedral do Lourenço, que viabilizará a navegação na hidrovia Araguaia-Tocantins, permitindo a navegação plena entre o Planalto Central e o porto de Vila do Conde, em Barcarena, e a construção do ramal ferroviário Açailândia-Vila do Conde da ferrovia Norte-Sul. Segundo o presidenciável tucano, essas são obras importantes para o desenvolvimento do setor industrial do Estado, projetando-o como a principal rota de exportação da produção de grãos do Centro-Oeste pelos portos de Miritituba, em Itaituba, e Santarém.

A parceria entre Aécio e Jatene também ganhou o reforço da ex-candidata à Presidência da República pelo PSB Marina Silva, que veio a Belém no fim de semana para declarar seu apoio total à reeleição do governador do Pará. O principal objetivo dessa união é alavancar e iniciar projetos fundamentais para o crescimento do Pará, principalmente os que foram prometidos pela presidente Dilma Rousseff (PT), que apoia a candidatura de Helder Barbalho (PMDB) no Pará, mas sequer saíram do papel, por falta de liberação de recursos por parte do governo federal, e que agora serão garantidos por Aécio, caso seja eleito.
Foto: Divulgação
Representantes de todos os 15 partidos que formam a coligação Juntos com o Povo (PSDB/ PSD/ PSB/ PP/SD /PRB/ PSC/ PTB/ PPS/ PEN /PMN /PTC /PSDC /PT do B e PRP) estarão presentes no comício de Aécio Neves e Simão Jatene. Participam também os prefeitos de Marituba, Mário Filho (PSD), de Salinópolis, Paulo Henrique Gomes (PSDB), e de Capanena, Eslon Martins (PR). Além dos deputados estaduais da coligação Juntos com o Povo eleitos este ano, como Cilene Couto (PSDB), Thiago Araújo (PPS), Coronel Neil (PSD) e o parlamentar federal Arnaldo Jordy (PPS).

Espera-se a participação de caravanas de centenas de municípios, principalmente da região nordeste do Pará, onde Simão Jatene venceu em mais de 90% das cidades. O candidato à reeleição ao governo do Pará também venceu em Ananindeua, município onde o filho de Jader Barbalho foi prefeito durante oito anos (2005-2012), mas foi rejeitado por quase 60% dos eleitores nas urnas no pleito deste ano.  (OrmNews)

Aécio e Dilma amenizam o tom e discutem propostas em novo debate


Dilma e Aécio durante debate realizado pela TV Record, em São Paulo, na noite deste domingo (19) (Foto: Andre Penner/AP Photo) 
Dilma e Aécio durante debate realizado pela TV Record, em São Paulo, na noite de ontem (19)
Os candidatos a presidente Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) trocaram críticas em debate na noite deste domingo (20) na TV Record, mas privilegiaram a discussão de propostas e amenizaram o tom agressivo dos dois confrontos anteriores do segundo turno, o do SBT, na última quinta (16), e o da TV Bandeirantes, na terça (14). O G1 acompanhou em tempo real (veja aqui).

Durante todo o debate, eles se trataram por "candidato" ou "candidata", sem se dirigirem um ao outro pelos nomes. Aécio chegou a afirmar, logo na primeira questão formulada a ele por Dilma, sobre o Supersimples: "Agradeço a qualidade da sua primeira pergunta". Em seguida, os dois presidenciáveis passaram a fazer acusações um ao outro, mas dentro de questões que abordaram temas de governo.

Ao perguntar sobre violência, Aécio disse que a rival "tem problemas com números".

Sobre direitos trabalhistas, Dilma questionou o tucano sobre supostas "medidas impopulares" que tomaria se eleito. Ele respondeu falando em demissões na indústria de São Paulo, apontando os "piores" números de crescimento econômico.

O tucano lembrou falas anteriores da petista de que a inflação está sob controle, mas perguntou por que países vizinhos crescem mais com inflação menor. "A inflação está aí", disse Aécio. "Vocês sempre gostaram de plantar inflação para colher juros", respondeu Dilma.

Em diferentes momentos do debate, os dois divergiram sobre a paternidade de programas sociais. Dilma se referiu ao "meu Bolsa Família". "Não faça isso. O Bolsa Família não é seu", retrucou o candidato. Dilma disse que Aécio questiona algo que "o mundo reconhece".

Quando debateram sobre o Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego), Dilma afirmou que o governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) proibiu a construção de escolas técnicas. "Não consigo entender essa obsessão de ter um programa para chamar de seu. O seu governo não inventou as escolas técnicas", disse Aécio.

O tucano questionou Dilma sobre a Petrobras. Neste sábado, ela admitiu que houve desvios de recursos na empresa. Ele quis saber se a candidata confia no tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, que teria obtido recursos para campanhas do partido por meio da empresa.

"Da última vez que um delator denunciou alguém do seu partido, no caso do metrô e dos trens, o senhor disse que não confiava na palavra de um delator", afirmou Dilma. "Se a senhora acha que houve desvios, a senhora está confiando na palavra do delator. Por que ao longo desses anos não se tomou providência?", indagou o tucano.

Leia abaixo a íntegra das considerações finais dos candidatos:

domingo, 19 de outubro de 2014

ONG identifica rota de madereiras no interior do Pará

Operação protagonizada pelo Greenpeace revelou uma rede de madereiras ilegais que atuam no interior do Pará. Disfarçados de madereiros, os ambientalistas foram disfarçados a diversas cidades do estado para colocar aparelhos de GPS em caminhões que atuam de forma ilegal no transporte de madeira, fruto do desmatamento da região amazônica.

A operação de vigilância mostrou como a exploração ilegal está superando as tentativas de frear o desmatamento na região norte do país. Segundo a ONG, é a primeira vez que essa tática é usada para este fim. De acordo com os resultados da operação, viagens de até 320 quilômetros em regiões de preservação da floresta são comuns para coletar troncos e retornar a serrarias no porto de Santarém.

A cidade concentra o principal pólo da indústria madeireira no Pará, estado que mais produz e exporta madeira da Amazônia. Segundo dados do Imazon, entre agosto de 2011 e julho de 2012, cerca de 78% das áreas com atividades madeireiras no Pará não tinham autorização de exploração.

O monitoramento revelou que ao menos 80 caminhões cruzam a cada noite a balsa pelo rio Curuá-Una, na PA-370, que vai até Santarém. O tráfego na balsa é mais intenso entre as 11 da noite e 1h30 da madrugada. De lá a madeira é exportada para várias partes do mundo como Europa, Estados Unidos, China e Japão. Imagens aéreas e de satélite também foram coletadas e analisadas durante a ação.

"A madeira ilegal é a porta de entrada para o desmatamento. A abertura de estradas por madeireiros torna a floresta mais suscetível à degradação e fragmentação. E, por passar despercebida pelos olhos dos satélites, esse tipo de destruição florestal nem entra na conta das emissões de gases do efeito estufa”, afirma Marina Lacôrte, da Campanha da Amazônia do Greenpeace. “Dadas às falhas estruturais do sistema de controle de madeira no Brasil e a histórica falta de governança na Amazônia, documentos oficiais não são suficientes para garantir a legalidade da madeira. Nossa investigação levanta muitas questões para as autoridades responsáveis em assegurar a origem responsável do produto – desde a floresta até o mercado”.

Em comunicado, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Pará declarou que a pesquisa do Greenpeace sobre o transporte de madeira ilegal revela a necessidade “de melhorar mecanismos de controle e monitoramento para evitar a exploração ilegal". A secretaria informou também que apesar dos avanços contabilizados nos últimos anos, ainda falta tecnologia e investimento para que o combate ao desmatamento seja efetivo.

Dados do governo brasileiro revelam que aproximadamente 20% da floresta amazônica foi destruída nas últimas três décadas, causando a morte de indígenas e a alta das emissões de carbono que contribuem para a mudança climática. O combate ao desmatamento feito pelo governo vem reduzindo o corte raso na última década, mas em 2013 o desmatamento aumentou quase um terço.  (Correio Braziliense)

Evo Morales é reeleito para terceiro mandato


O presidente da Bolívia, Evo Morales, conseguiu a vitória com 61% dos votos (apuração oficial) nas eleições presidenciais do último domingo na Bolívia, segundo a apuração oficial, entregue ontem (18/10) pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Morales, que teve uma vantagem de 37 pontos sobre o segundo colocado, garantiu um novo mandato de cinco anos, entre 2015 e 2020. O candidato opositor centrista, o empresário Samuel Doria Medina, obteve 24% dos votos.

No poder desde 2006, Morales, primeiro presidente indígena da Bolívia, precisavade 50% mais um dos votos para garantir a reeleição sem a necessidade de segundo turno. Na eleição de 2009, ele recebeu 64% dos votos.

Prefeitura mineira empregou irmão e o ex-marido de Dilma


No período ditatorial, Cláudio Galeno participou do sequestro de um avião no Uruguai e se refugiou em Cuba
Além do irmão Igor Rousseff, o ex-marido da presidente Dilma Rousseff (PT) Cláudio Galeno de Magalhães Linhares integrou o quadro da prefeitura de Belo Horizonte como funcionário comissionado. Ele exerceu cargo de confiança por cinco anos durante a administração do petista Fernando Pimentel (PT), recém-eleito governador de Minas Gerais, e de seu sucessor e então aliado Marcio Lacerda (PSB).

Galeno atuou como consultor técnico especializado, nomeado para atuar diretamente no gabinete do prefeito, com salário que chega hoje a R$ 13.569,68. A nomeação do ex-marido de Dilma ocorreu em maio de 2005. Quatro anos depois, em janeiro de 2009, quando o mandato de Pimentel se encerrou, ele foi exonerado do cargo. Galeno voltou à prefeitura em abril de 2009, já na administração do recém-eleito Lacerda, dessa vez como gerente de primeiro nível da Gerência de Acompanhamento de Colegiados. O salário para esse cargo atualmente é de R$ 8.544,04.

Na gestão de Lacerda, que em seu primeiro mandato era apoiado pelo PT e pelo PSDB, Galeno integrou o Comitê Governamental de Gestão Participativa e também o Conselho Fiscal da Belotur, empresa municipal de turismo. Ele saiu da prefeitura em 5 de julho de 2010, data da publicação de sua exoneração no Diário Oficial do Município (DOM). Dilma Rousseff, Cláudio Galeno e Fernando Pimentel, que foi também ministro de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior da presidente, eram amigos da época de juventude em Belo Horizonte. Na década de 1960, eles militavam no Comando de Libertação Nacional (Colina), organização de esquerda que combateu a ditadura militar.

Galeno e Dilma se casaram em 1967, em um cartório civil com a presença de familiares e poucos amigos. O casamento não durou mais de dois anos. Em 1969, os dois militantes, já na clandestinidade, fugiram da capital mineira para o Rio de Janeiro. Pouco depois, Galeno foi para o Rio Grande do Sul, a pedido do Colina, e Dilma continuou no Rio. O militante participou, no ano seguinte, de sequestro de avião em Montevidéu, no Uruguai, e ficou refugiado em Cuba. Assim como Dilma, Galeno se casou novamente.

Irmão
Mais velho dos irmãos, Igor Rousseff também esteve na prefeitura de Belo Horizonte durante a gestão de Pimentel com cargo de confiança, fato questionado em debate presidencial do SBT, na quinta-feira, pelo candidato à Presidência, Aécio Neves (PSDB), adversário de Dilma.

Igor, que é advogado, foi nomeado assessor especial de Pimentel em setembro de 2003, pouco depois de o petista assumir a prefeitura, com a aposentadoria do então prefeito Célio de Castro. Em 1º de janeiro de 2005, ele foi exonerado da função. Três meses depois, o irmão de Dilma, que na época era ministra da Casa Civil do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, voltou à prefeitura como assessor especial da Secretaria Municipal de Planejamento, Orçamento e Informação.

Ele exerceu o cargo por três anos e 10 meses, até 1º janeiro de 2009, quando se encerrou o mandato de Pimentel. Assim como Igor Rousseff, todos os servidores que não possuíam cargos efetivos na estrutura da administração municipal foram exonerados.  (Correio Braziliense)

No blog do Claudio Humberto:

Lava Jato: governadores podem não tomar posse
Fontes ligadas às investigações da Operação Lava Jato afirmaram, sem citar nomes, que “alguns governadores” eleitos no último dia 5, em primeiro turno, podem não tomar posse em 1º de janeiro, em razão da gravidade do envolvimento deles no esquema de corrupção e lavagem de dinheiro chefiado pelo megadoleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, presos há sete meses. ++ Há políticos disputando o 2º turno, segundo fontes da investigação, que também podem ser alçadas pela Justiça, no escândalo da Lava Jato. ++ Tira o sono de muita gente a suspeita de que o ministro Teori Zavascki, do STF, vai liberar, antes do 2º turno, a lista dos políticos enrolados na delação.
Guerra
Ocorrências policiais mostram que carros com adesivos “Fora Dillma” têm sido atacados em Brasília. Quebram faróis, lanternas, retrovisores.
Desembarque?
Em conversas com lulistas próximos, aos palavrões, quinta-feira (16), Lula começou a culpar Dilma pelos problemas na campanha e nas pesquisas, queixando-se de que ela não o aciona como deveria.
Descolando
Lula também desconfia de que Dilma quer experimentar “o gostinho” de se reeleger sem sua ajuda. Para ele, é o primeiro passo para formar um governo em que a influência do antecessor será bem menor.
Vai dar rolo
O PSDB prepara denúncia à Justiça Eleitoral: emissora educativa e católica, a rádio Padre Cícero FM, de Juazeiro do Norte(CE), fez de sua programação um comício. Pede votos abertamente para o PT.
 

Costa inclui Gleisi Hoffmann no esquema

Edição 247/Fotos: Wilson Pedrosa/ Fotos Públicas/Antonio Cruz/ Agência Brasil (10/06/2014):
A senadora e ex-ministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann (PT-PR) teria recebido R$ 1 milhão desviados da Petrobras. A denúncia foi feita por Paulo Roberto Costa, ex-diretor da estatal e um dos operadores do esquema de corrupção na empresa, desbaratado pela Operação Lava-Jato, da Polícia Federal.

Segundo Costa contou ao Ministério Público Federal, o dinheiro foi repassado à Gleisi pelo doleiro Alberto Youssef, preso pela Lava-Jato. Os recursos teriam sido utilizados na campanha da petista ao Senado Federal, em 2010.

A informação está na edição deste domingo (19/10) de O Estado de S. Paulo, disponível on-line desde a noite de ontem. Ainda segundo o jornal paulista, Costa teria dito às autoridades que possui anotações da transferência em uma agenda já apreendida pela Polícia Federal. (Correio Braziliense)

Mega-Sena acumula e vai a R$ 50 milhões

Mais uma vez acumulou a Mega-Sena, com nenhum apostador acertando as seis dezenas sorteadas pela Caixa Econômica Federal (CEF), na noite de ontem (18), no concurso 1.645 do prêmio. Confira os números sorteados:
08 - 18 - 21 - 31 - 37 - 38
De acordo com a CEF, 137 apostadores acertaram 5 números e ganharão R$ 29.198,03, cada, enquanto os 8.400 que fizeram a quadra receberão R$ 680,29.

O valor para o próximo sorteio, que será realizado em 22 de outubro, quarta-feira, é estimado em um atraente valor de R$ 50 milhões.

Na VEJA desta semana:

As entranhas do petrolão
Quando assinou seu acordo de delação premiada, o doleiro Alberto Youssef prometeu entregar aos investigadores da Operação Lava Jato informações que iriam 'chocar o país'. Reportagem de VEJA revela que na semana passada ele cumpriu a promessa: contou que a campanha de 2010 de Dilma Rousseff foi em parte financiada com dinheiro desviado da Petrobras, listou 28 parlamentares que se serviam das propinas e expôs as entranhas do que chamou de 'mensalão dois'.

Dilma, só agora, admite: houve desvios na Petrobras

A presidente Dilma Rousseff, durante entrevista coletiva no Palácio da Alvorada
A presidente-candidata Dilma Rousseff (PT) admitiu ontem (18) pela primeira vez que houve desvio de recursos públicos na Petrobras. Desde que estourou o escândalo envolvendo políticos e empresários que sangravam os cofres da estatal, a petista tentava desqualificar as informações fornecidas em acordo de delação premiada pelo ex-diretor de Refino e Abastecimento da empresa, Paulo Roberto Costa, e pelo doleiro Alberto Youssef. No dia em que reportagem de VEJA traz outra revelação de Youssef – o dinheiro do petrolão abasteceu a campanha da petista em 2010 –, Dilma confirmou que houve desvios e disse que “fará todo o possível” para ressarcir o país. Em discurso no Palácio da Alvorada, ela não tratou diretamente do dinheiro do petrolão para sua campanha.

“Eu farei todo o meu possível para ressarcir o país. Se houve desvio de dinheiro público nós queremos ele de volta. Se houve, não, houve [desvio]”, afirmou. “Tomarei todas as medidas para ressarcir tudo e todos, mas ninguém sabe hoje o que deve ser ressarcido porque a delação premiada, onde tem os dados mais importantes, não foi entregue a nós”, disse ela. O Palácio do Planalto tentou ter acesso ao conteúdo da delação premiada de Paulo Roberto Costa, mas tanto o procurador-geral da República Rodrigo Janot, quanto o ministro Teori Zavascki, que conduz o caso no Supremo Tribunal Federal (STF), negaram o pedido. Ambos alegaram que as informações são protegidas por sigilo.

Em suas principais revelações, Costa afirmou que PT, PMDB e PP participavam do esquema de desvios milionários da Petrobras tanto no governo Lula quanto no governo Dilma. De acordo com Paulo Roberto, também houve o pagamento de propina ao ex-presidente do PSDB Sergio Guerra para que o então parlamentar impedisse investigações de uma antiga CPI da Petrobras. Guerra morreu no início do ano.

De acordo com Dilma, mesmo que agora as revelações apontem para o nome de um tucano no escândalo, não há motivo para comemorações. Ela disse que todos os suspeitos devem ser investigados, mas ironizou a inclusão do PSDB no rol de possíveis envolvidos recorrendo a um ditado popular: “Pau que bate em Chico bate em Francisco”.

“Não acho que alguém no Brasil tem a primazia da bandeira da ética. Todos os integrantes de partido, qualquer um, que tenha cometido crime, delito, malfeito, tem de pagar por isso. Ninguém está acima de qualquer suspeita no Brasil. Todos aqueles que não cumpriram com os princípios éticos e de uso absolutamente limpo do dinheiro público devem pagar por isso”, declarou a presidente-candidata. (Veja)

Bruna Marquezine se converte à religião evangélica

Bruna Marquezine se converteu de vez à religião evangélica. A atriz tem roubado a cena dos pastores na Igreja Batista Central da Barra da Tijuca, que frequenta. Quase todo domingo, ela mostra o quanto é querida por lá e impressiona por saber cantar todos os louvores. Após o culto, ela ainda distribui autógrafos e posa para fotos com os frequentadores do local. (O Dia)

Desaposentação: Aposentado que ainda trabalha está perto de ter perda de até 24%

As regras propostas pelo relator do processo da desaposentação no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luís Roberto Barroso, reduzirão as correções de aposentados que continuam trabalhando com carteira assinada e reivindicam na Justiça a troca do benefício por um mais vantajoso. Os novos requisitos para basear processos que tramitam no Judiciário resultarão em diferenças no reajuste de 5,5% a 24%, em relação a critérios de cálculos de ações que já foram ganhas e tratam da troca das aposentadorias.

Em seu voto, o ministro propôs usar a expectativa de vida e a idade do trabalhador no cálculo do fator previdenciário à época da concessão do primeiro benefício. Os critérios se somariam às contribuições posteriores à liberação da aposentadoria para revisão.

Segundo cálculos do Instituto de Estudos Previdenciários (Ieprev), um trabalhador, por exemplo, que se aposentou em 2006, aos 55 anos de idade, após 35 anos de contribuição, e passou a receber R$ 1 mil à época, hoje ganha R$ 1.149,92. Mas como manteve a contribuição para a Previdência nas mesmas condições de antes da aposentadoria, teria direito a um benefício corrigido de R$1.890,42. Essa conta considera a idade atual de 63 anos e o fator previdenciário de 1,2116.

No entanto, com as regras propostas pelo ministro, esse mesmo segurado passaria a receber benefício de R$ 1.435,45, por considerar a expectativa de vida e a idade em que se aposentou pela primeira vez no cálculo do fator previdenciário. Ou seja, uma queda de 24,06%, em relação ao outro valor.
Inicialmente, teria correção de 64,39%, caso ganhasse a ação na Justiça com os critérios atuais. Só que teria reajuste de 24,83% pelo modelo proposto pelo ministro.

Já um trabalhador que se aposentou com 55 anos em 2010 recebendo R$1.322,76 passaria a ter R$ 1.689,41 por contribuir mais quatro anos. Hoje ele teria 59 anos de idade e alta de 27,71% em relação ao benefício original. Pela regra do ministro do STF, esse valor seria de R$1.483,76, ou seja, subiria 12,17% se comparado à primeira aposentadoria. Mas se for levado em conta os dois critérios para a desaposentação, a perda é de 12,17%.

Um outro segurado que se aposentou com 52 anos, em 2012, com R$2.423,11 por mês e contribuiu por mais dois anos, iria receber R$ 2.719,69 com a desaposentação (aumento de 12,23%). Pelas regras novas do ministro do STF, o benefício seria de R$ 2.570,08 (elevação de 6,06%). A diferença entre um e outro ficaria em 5,50%.

DESAPOSENTAÇÃO 2
Presidente do Ieprev, o advogado Roberto Carvalho Santos critica a proposta do ministro-relator. Ele alega que a função do Poder Judiciário não é modificar regras de cálculo de aposentadorias. Segundo o advogado, a iniciativa deveria partir do Legislativo ou do Executivo. “O ministro usou argumento político. Ele deveria julgar e não criar mecanismos para o cálculo”, diz.

DESAPOSENTAÇÃO 3
O especialista chama atenção para o prazo que o ministro deu para que a proposta entre em vigor, após o fim do julgamento. “Só passará a valer seis meses depois. Enquanto isso, o direito não existe para o segurado”, reclama. O Supremo deve retomar ainda neste mês o julgamento da desaposentação. A expectativa é que o assunto seja incluído na pauta do dia 29.  (O Dia)

Navio que passou por Guiné não vai atracar em Santarém

Navio tem 38 tripulantes e teve viagem liberada pela Capitania dos Portos (Foto: Dyepeson Martins/G1) 
Navio tem 38 tripulantes e teve viagem liberada
pela Capitania dos Portos
O navio graneleiro MV/Stoja que passou por Guiné, um dos países da África que vive um surto de ebola, não irá atracar em Santarém, oeste do Pará. A informação foi divulgada pela empresa exportadora de grãos Cargill ontem (18). Em nota, a empresa informou que a embarcação não chegou a atracar no porto em Guiné, e esclareceu que houve apenas uma parada no país.

De acordo com a Cargill, apesar da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em Macapá ter fiscalizado a embarcação e atestado a segurança e a Capitania dos Portos ter liberado a viagem do navio, a decisão foi adotada pela empresa com a finalidade de tranquilizar a população santarena, que entrou em pânico após compartilhamentos de mensagens em redes sociais e aplicativos de bate-papo que informavam Santarém como o destino do navio.

Órgãos traçam estratégias de prevenção
Os Ministérios Públicos Federal e Estadual, em caráter de urgência, convocaram vários órgãos de segurança e saúde para uma reunião no fim da tarde deste sábado. O objetivo foi definir estratégias e fazer recomendações sobre prevenção da doença nos terminais que dão acesso ao município. Participaram da reunião, Polícia Federal, Divisão de Vigilância em Saúde, Capitania Fluvial, Companhia Docas do Pará, Vigilância Sanitária, Hospital Municipal de Santarém, Secretaria Municipal e Estadual de Saúde.

Pânico nas redes sociais
Mensagens informando que um navio vindo da Guiné, um dos países da África que vive um surto de ebola, provocou pânico nos santarenos desde a noite de sexta-feira (17). O aviso, compartilhado nas redes sociais e aplicativos de bate-papo no celular alertava que a embarcação estaria atracado na cidade de Macapá (AP) e tinha como destino Santarém.

Após a repercussão do alerta, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em Macapá realizou uma inspeção no navio e constatou que a tripulação não apresentou sintomas de ebola, mas explicou que seria monitorada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Depois de realizada a vistoria, a Capitania dos Portos em Macapá entendeu que não haveria risco da embarcação seguir viagem e fez a liberação.

A Vigilância Sanitária de Santarém informou que iria enviar uma solicitação para que o navio ficasse em observação até completar o período de incubação do vírus, para afastar qualquer risco.  (G1Santarém)

Helder e Jatene estão tecnicamente empatados, diz Ibope.

 Foto: EBC
Pesquisa Ibope divulgada ontem (18) aponta os seguintes percentuais de votos válidos na corrida para o governo do Pará:
- Helder Barbalho (PMDB): 52%
- Simão Jatene (PSDB):         48%

Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição.

A pesquisa foi encomendada pela TV Liberal e é o primeiro levantamento divulgado pelo instituto no segundo turno da eleição para governador do PA. Segundo o Ibope, os candidatos estão empatados tecnicamente dentro da margem de erro, de três pontos.
Votos totais
Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada são:
- Helder Barbalho (PMDB): 48%
- Simão Jatene (PSDB): 45%
- Branco/nulo: 3%
- Não sabe/não respondeu: 4%

O Ibope ouviu 812 eleitores em 43 municípios do estado de 14 a 16 de outubro. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de três pontos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Pará sob registro PA-00052/2014 e no Tribunal Superior Eleitoral sob protocolo no BR-01121/2014.  (G1)

sábado, 18 de outubro de 2014

Pesquisas apontam vantagem de Simão Jatene

Simão Jatene (PSDB) está na frente na disputa pelo governo do Pará segundo os institutos de pesquisa Doxa e BMP (Bureau de Marketing e Pesquisa). Conforme a pesquisa de intenção de votos feita pelo Doxa nas seis mesorregiões do Estado (Metropolitana, Nordeste, Marajó, Baixo Amazonas,Sudoeste e Sudeste), Jatene tem a preferência de 53,7% do eleitorado, contra 46,3% do seu adversário, Helder Barbalho (PMDB), em relação aos votos válidos - como a Justiça Eleitoral calcula os votos dos candidatos -, abrindo vantagem de 7,4 pontos percentuais. Segundo o levantamento do BMP, também considerando os votos válidos, Jatene aparece 52,11% das intenções de votos, com 4,22 pontos percentuais à frente de Helder (com 47,89%).

Candidato à reeleição, Simão Jatene também aparece com vantagem nas pesquisas estimuladas realizadas pelos institutos. No levantamento do Doxa, o tucano tem 49% das intenções de voto contra 42,3% de Helder Barbalho, abrindo 6,7 pontos percentuais de vantagem. A margem dos que pretendem votar em branco ou nulo é de 5,3% e a dos que se declaram indecisos é de 3,4%. Jatene supera o candidato do PMDB na pesquisa estimulada do BMP, com o percentual de 45,08% ante 41,44% - com vantagem de 3,64 pontos percentuais.

Neste levantamento, abstenções, indecisos e votos brancos ou nulos somam 13,48%. Na modalidade espontânea, quando não há a apresentação do nome dos candidatos, Simão Jatene ficou à frente nas duas pesquisas. Pela apuração do Doxa, o atual governador tem 47,3% da preferência do eleitorado, enquanto o ex-prefeito de Ananindeua aparece com seis pontos percentuais a menos: 41,3%. A proporção que respondeu votar em branco ou anular o voto é de 4,5% e os que ainda não sabem em quem votar é de 6,9%. Na pergunta espontâneada pesquisa BMP, os percentuais foram de 44,26% para Jatene e de 40,40% para Helder Barbalho - com o candidato tucano abrindo vantagem de 3,86 pontos percentuais. Os indecisos somam 10,20%, os que disseram votar branco ou nulo chegam a 4,10% e os que se abstiveram de declarar sua intenção de voto totalizam 1,05%.

Presidência - Na corrida presidencial, o candidato Aécio Neves (PSDB) supera a candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) na pesquisa Doxa. O tucano está com 47,3% e a presidente com 46,2% das intenções de voto. Brancos, nulos e indecisos somam 6,5%. Em relação aos votos válidos, Aécio está com 50,6% e Dilma 49,4%. Na consulta estimulada do instituto BMP, as posições se invertem. A petista aparece com 50,19% e Aécio Neves com 40,88%. O percentual de quem ainda não decidiu o voto é de 5,37%, o de votos brancos e nulos é de 2,52%, e o de quem não quis responder é 1,05%. Na análise dos votos válidos, Dilma está com 55,11% e Aécio com 44,89%.

A pesquisa pelo BMP ainda questionou os eleitores sobre como eles avaliam o desempenho do governo Simão Jatene até o momento. Para 36,88% a resposta foi positiva (ótima/boa), outros 32,85% consideram regular, 28,76% disseram ruim/péssima, e 1,51% não souberam avaliar. Já na pergunta se eles aprovam ou não a forma como o governador administra o Estado, a maioria (55,63%) disse concordar, contra 37,46% que desaprovam.

A pesquisa Doxa foi registrada no TRE-PA sob o número PA-00048/2014. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento ocorreu entre 13 e 16 de outubro, com 2.000 eleitores. Já a consulta da BMP ouviu 2.500 eleitores em 46 municípios das seis Mesorregiões entre 13 e 17 de outubro. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa está protocolizada sob o nºPA00051/2014. (Fonte: OrmNews)
Leia também >Helder consolida liderança no 2º turno

Marina Silva declara apoio a Simão Jatene no Pará


Marina Silva declarou apoio a Simão Jatene (Foto: Luana Laboissiere / G1) 
Marina Silva declarou apoio a Simão Jatene (Foto: Luana Laboissiere / G1)
A candidata que concorreu pelo PSB à presidência do Brasil no primeiro turno, Marina Silva, declarou seu apoio ao candidato Simão Jatene (PSDB) na disputa eleitoral pelo governo do Pará. Marina se encontrou com o tucano neste sábado (18) em uma reunião no Parque dos Igarapés, em Belém. - "Nossos objetivos aqui não são destruir os adversários de Jatene, de Dilma, de ninguém. Queremos construir o Pará, queremos construir o Brasil. Apostamos nessa região que é rica, que produz energia. E queremos que o meio ambiente seja preservado com ganho para a população local", disse Marina Silva.
Durante o evento Marina declarou novamente que defende campanhas sem ataques pessoais. "Nós, eu e Jatene, não acreditamos em campanha vale-tudo. Eu nunca imaginei os preconceitos que o Collor usou contra o PT fossem usados contra mim", disse.

Além de declarar apoio ao PSDB, a ex-candidata voltou a falar sobre o primeiro turno das eleições. "Eu estou aqui porque acredito que podemos fazer a diferença com uma política com ética com respeito aos cidadãos e cidadãs, e aos adversários. Prefiro sofrer a injustiça a praticar a injustiça. Eu não fui ao segundo turno e respeito a decisão democrática dos brasileiros, mas eu estou tranquila que o que eu fiz não foi nada injusto. A presidente Dilma teve a chance e não cumpriu. O Aécio ainda não teve a chance, mas se comprometeu com uma agenda pelo bem do Brasil, por isso declarei a ele o meu apoio, não em troca de nada, só das ideias e das propostas".
Marina Silva condenou campanhas "vale tudo" (Foto: Luana Laboissiere / G1) 
Marina Silva condenou campanhas "vale tudo"
Criticas ao PT
Marina Silva criticou a gestão petista, disse que a presidente Dilma não cumpriu promessas de campanha e afirmou que, caso eleito, Aécio Neves terá de administrar um país em situação econômica pior do que estava quando a atual gestão assumiu em 2010.

"Dilma não cumpriu os compromissos que assumiu com os brasileiros. Ela promoveu um retrocesso em vários setores, como na agenda de assentamento dos agricultores familiares. Na economia é a primeira vez que eu vejo, desde a abertura democrática do país, um presidente entregar um país pior do que encontrou. A Dilma vai entregar um Brasil pior para o Aécio", conclui Marina.

Compromisso ambiental
Durante o evento, a presidente da Cooperativa de Catadores de Material Reciclável do Aurá, Ana Lucia Moraes, pediu que a coligação entre Marina e o candidato Simão Jatene firme um compromisso público para atividades sustentáveis, como a reciclagem, garantindo a atividade de quem trabalha no aterro que recolhe o lixo da Região Metropolitana de Belém. De forma simbólica, Ana entregou para Marina Silva uma sacola feita de jornal. (G1Pará)

Pesquisa Istoé/Sensus mostra Aécio com 12,8 pontos sobre Dilma

Ontem (17), faltando 50 minutos para o fechamento do pregão da Bovespa, pesquisa Istoé/Sensus provocou agitação no mercado de ações. O pregão teve leve alta no final do dia, o que pode ter representado ganhos significativos para posições compradas no chamado 'kit eleição', que inclui papeis de empresas estatais.

Nos novos números, o candidato tucano Aécio Neves apareceu com 56,4% dos votos válidos, contra 43,6% da presidente Dilma Rousseff. Uma diferença de 12,8 pontos percentuais. No levantamento anterior do mesmo instituto, essa diferença era de 17,6 pontos.

Se fossem considerados os votos totais, Aécio teria 49,7% e Dilma, 38,4%. Doze por cento dos eleitores ainda se manifestaram indecisos ou dispostos a votar em branco. A pesquisa indica que nessa reta final da disputa os dois candidatos já são bastante conhecidos pelos eleitores. O índice de conhecimento de Dilma é de 94,4% e de Aécio, de 93,3%. "Com os candidatos mais conhecidos, a tendência é a de que o voto fique mais consolidado", afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus.

O levantamento, que ouviu 2.000 eleitores de 24 Estados, revela também a liderança de Aécio Neves quando não é apresentado ao eleitor nenhum candidato. Trata-se da chamada resposta espontânea. Nesse quesito, o tucano foi citado por 48,7% dos entrevistados e a petista, que governa o País desde janeiro de 2011, por 37,8%.

A primeira pesquisa Istoé/Sensus do segundo turno está questionada na Justiça pelo PT. O partido questiona a metodologia e a coleta de informações do levantamento, que apontou Aécio 17 pontos à frente de Dilma.  (Brasil 247)

Aécio fica 'emocionado' com apoio de Eliana

:  
Aliados derrotados nas eleições deste ano são de muito valor para o candidato do PSDB à presidência da República, Aécio Neves. Os exemplos na Bahia são o peemedebista Geddel Vieira Lima e a juíza-política Eliana Calmon (PSB), ambos derrotados na disputa pelo Senado.

Em entrevista coletiva em Salvador, onde fez campanha nesta sexta-feira (17), o tucano rasgou elogios à ministra aposentada do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e disse que estava "emocionado".

"Eu quero aqui dizer da alegria de chegar à Bahia e receber o primeiro abraço da ministra Eliana Calmon. É uma honra muito grande receber seu apoio, ministra, receber o seu apoio que representa o Brasil novo, o Brasil moderno, o Brasil que respeita valores, o Brasil que quer Justiça e o Brasil que tem coragem pra fazer o que precisa ser feito. Quero registrar aqui o meu profundo agradecimento ao apoio de Eliana Calmon, o apoio dos companheiros de outros partidos que não estavam conosco no primeiro turno, em especial membros da Rede, do PSB e outras forças políticas que se somam a nós aqui nesse instante".

Ex-candidata ao Senado pelo PSB da Bahia, a ministra aposentada do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Eliana Calmon frisou que não existe perspectiva de assumir qualquer função num eventual governo de Aécio Neves (PSDB), candidato apoiado por ela no segundo turno das eleições 2014 para o Palácio do Planalto. “Não tenho pretensão de ter cargos. A minha pretensão é ajudar o governo se chegando lá”, garantiu a jurista.

Aliada de Marina Silva e citada para ocupar o Ministério da Justiça caso a ex-candidata obtivesse êxito nas urnas, a ex-ministra desconversou ao ser questionada sobre o assunto. “Será preciso reconstruir esse país e neste momento, eu acho que todas as pessoas sensatas dessa nação devem fazer exatamente isto, ajudar o seu presidente a organizar o país”, desconversou.

Indicação para o Prêmio Fiepa 2014

Ercio Bemerguy é funcionário aposentado do Banco da Amazônia (BASA). Como radialista profissional, atuou como apresentador de programas na Rádio Rural e na Televisão Tapajós, de Santarém, sua terra natal. Foi colunista-colaborador do jornal O Estado do Tapajós. Criou o seu blog "O Mocorongo" em 2009.
=======================================
 
Este blogueiro foi indicado para o Prêmio Fiepa de Jornalismo 2014 - Categoria Blogueiros, promovido pela Federação das Indústrias do Pará. 
A postagem acima está inserida no site da premiação > http://www.premiosistemafiepa.com.br/indicados

Agradecemos os votos recebidos e, confessamos aqui, a nossa alegria por tão honrosa indicação.